Cântico puro

Se vires o fogo do sol sorrir          enchendo a terra de cores e com    olhos tentadores                         soltar suspiros no ar,                   saberás que estou perto                e que a brisa me enleia                enquanto travessa te espio           por entre sonhos e flores.

Vem então abrir meu peito            e rasgar a minha alma                  com esse teu amor cego               que eu deitada no chão,                te receberei em ternuras               e as minhas mãos de neve,            e o meu colo transparente,           te falarão a sussurrar                   que  não quero outro morrer    senão o de te perder                   para de novo te alcançar.               

Margarida Lopes - Lisboa