6DUETOS

1- Ferdinando - Theca Angel

2- Ferdinando - Joyce Sameitat

3- Ferdinando - Theca Angel

4- Ferdinando - José Ernesto

5- Noris Roberts - Ferdinando

6- Ferdinando - Yeda Araujo

7- Ferdinando - Theca Angel

8- Ferdinando - Joyce Sameitat

9-Ferdinando - Odir ( oklima )

10- Ferdinando - Amilton

1- DESENGANO
Ferdinando©

Perdi-me na incerteza do meu passo,
Vacilante riso, gélido como o vento!...
Minha crença desfeita de cansaço,
Faz a noite, que fecha num lamento...

Sou o grito da vida a fervilhar de pé
Coração que vive magoado e puro,
Barco que deriva o curso da maré,
À procura de um porto mais seguro.

Nunca julguei o prazer de um beijo
Nem entendi a chama de um desejo,
No meu rosto à brilho que arrefece...

Na madrugada do meu olhar distante
Só o corpo do luar, na noite caminhante...
-Dorme comigo, me beija, e me aquece!

Germany 20-03-10


DESENCANTO
Theca Angel

Foge-me a crença, e o sopro do alento...
Faz-se um ríctus desafiando o frio riso...
Como um suspiro de parvo desalento
Contorce-se meu simúlacro de sorriso

Não há força que me sustente em pé
Quando derrotado, o sussurro busca em vão
um ponto de apoio que seja à fragil fé
e refugia-se infeliz na tristeza, o coração!

Vai assim, morrendo a desabrida confiança...
Ocultando sempre ao mundo esta tola criança
Que se imaginou o alvo de um fiel amor..

Perderam-se as carícias ante a tempestade
que rugindo sob o fantasma da maldade
Arrancou do teu peito o que juravas ser amor!

Brasil

2- CAMINHOS DO MEDO
Ferdinando©
Joyce Sameitat

Na magnitude
Das estradas do medo,
Mora um punhal cruento
Que os donos do Universo
Desenham no colorir do seu orgulho
Com taças de sangue inocente.


Que sabem eles de suas atitudes;
Porquê este louco desejo...
De se olharem no seu anverso;
Sem notarem os pedregulhos;
Que lhe cegam a mente...


A mera ambição caminha
Num corrupto que só expira
Na madrugada do ressequido vento
Que emudece a palavra dos tiranos.


Possuem uma alma mesquinha;
Que no odor do sangue suspira;
Sem contar que seu próprio tempo;
Já está quase findando...



Germany 07-10-09
São Paulo 07-10-09

3- BRUMA
Ferdinando©

As flores se vestem de paixão
Nas noites brancas do nosso olhar,
Que douram a indecisa escuridão
Em promessas de amor a levedar.

Somos o grito perdido na razão
Sobre a haste despida de luar,
Onde o tempo tem a voz da ilusão,
E as estrelas amanhecem a chorar.

Seguimos num futuro que emudece
Nos dias onde a crença desfalece,
Em calçada triste, de granito incerto...

O nosso peito esconde cada sonho
Com medo do despertar medonho,
Quando o leito comum estiver perto!...

Germany 03-10-09

ESPUMAS...
Theca Angel


Ouviste feiticeira a voz do tempo
Trazendo-te retalhos de ilusões...
Sentiste em teu peito o tormento
e a crença desfalecendo entre perdões...

Atinaste com o suspiro dolorido
Em meio à alva espuma do luar
e enxugando o pranto escondido
Tentaste encobrir o teu amar...

Mas, à megera solidão perdeste
Quando a vida ao amor rendeste
e viste que sua fragil flor pendeu...

Inutil fora a vertigem da razão
Pois que de teus sonhos, a visão,
em meio ao desalento se perdeu!

Brasil 03-10-09


4- DEUSA DO ETÉREO
Ferdinando©

Vestiste-te no tempo do passado
Em paixão que afogueia o teu ser,
E cobres com o azul mais sagrado
Os sonhos, que no longe vão nascer.

Boémio fora o espaço caminhado
Na loucura que incentiva de prazer,
No imenso Universo enfeitiçado,
Andorinhas espreitavam pra te ver!...

És razão que liberta a voz do tempo
Numa manhã cantada pelo vento,
Quando o Sol nas rochas vem morar....

Nunca esqueças, a nobreza da razão,
E verás que nossas almas também são,
Duas gaivotas brancas sobre o mar...

 Germany 13-07-09


IMAGEM ILUSÓRIA
José Ernesto Ferraresso

Alma que aflora no infinito,
Encontra-se no céu e na terra,
É uma imagem que encerra,
O que esse enigma impera.

Razão que perdura para sempre,
Ilusão que consente emoção,
Faz da sua imagem uma mulher
Que conquistou um coração.

Razão do meu viver,
Imagem que aflora um ser,
Procuro te compreender

Percorre o espaço infinito,
Traz a mensagem do além,
Não é imagem de ninguém .

Serra Negra
13/07/09


5- Hoje te prometo…
Noris Roberts

decifrar os latidos de teu coração.
coplar em minha pele,
o brilho que em cada amanhecerme extasiabas de prazer.
Te sento em mim…
Na transfiguração de meu ser.
Nos sons que arrulhem os círculos de minha voz.
Nos chovidos silêncios que gemeram em meu interior.
Num só instante me encheste de ti.
Sonrojaste meu desvelo na intenção vaidosa da lua de janeiro.
A essência deste amor se trasluce em cada pétala de minha pele.
No enardecido céu.
Nos vitrales do verso onde bebeste meu alento em silêncio.
Em meu aposento,
em minha morada,
em meu tempo,
por que te tenhas a qualquer hora em meus pensamentos.
Hoje te prometo…
Desvestir teus huracanados beijos.
Confabulada com a noite,
num sopro sagrado vislumbro cada dia
o exclamado goze de tua venerável geografia.
Não é improvisado…
Faz chegado o amor…
Vestido de febril ilusão.
Te senti.
Toquei-te.
Sonhei-te.
Escutei-te de um modo quase sobrehumano.
Assim é nosso amor…
Que não olha classe nem religião.
Surgiu dos lábios de Deus.
Dos erguidos raios do sol.
Da gota de ámbar que por meu corpo se colou.
Do pólen hipnótico da flor.
Do vento súbito
que deteve o tempo e bebeu meus beijos.
Assim é nosso amor…
Amparado nas asas do senhor.
Nas cristalinas fontes do desejo e paixão.
Assim é nosso amor…

©Noris Roberts
 
À MINHA QUERIDA AMIGA, NORIS ROBERTS

PORQUE TE AMO?
Ferdinando

Não sou pedra inerte em rua deserta.
Ser sem vida entregue ao esquecimento!
Sou alma gritante a levedar futuros...
das errantes horas, loucas do passado.

Fui estiagem que a solidão transmitia,
à ténue luz no meu caudaloso caminho!
Te amo hoje, porque sou vida e desejo,
amor e ambição dos teus beijos amantes,
sem as melancólicas horas de outros dias...
e nos tempos crentes, nas manhãs vindouras
adormecemos todos os relógios do Universo,
para uma eterna noite de te amar perdidamente!...

Te amo sempre no querer mais forte do meu ser!
Minha ânsia esvoaça etéreos e transpõem montanhas....
faremos com a sereia nossos cantos de amor
onde o vento não semeie solidão, mas sim ternura
numa força total de existir, e ser feliz

Germany

 

6- QUEM ÉS?...
Ferdinando©

Plantei o amor no sol do teu olhar
Em teus lábios semeei meus beijos
Do teu rosto fiz a seda do altar,
Onde mora o azul dos meus desejos...

Contigo nasceu a minha esperança
Na paisagem de um solar ridente,
Alimentas-te em ternura de criança
E despertas um sorriso no poente.

És a fonte inesgotável do desejo
E no halo de fogo do teu beijo
Moldei-te dourada no meu peito!

Não me importa saber o teu passado
Talvez em mentiras sepultado,
Ou saudade que chora no teu leito.

Germany 16-10-09


QUEM SOU *
Yeda Araujo Pereira


Em meio à multidão, um exemplar apenas,
perdida entre olhares dispersos e distantes...

Mas sou única... Isto sim...
Eis o fato relevante!

Sou inédita a cada novo dia,
a cada instante... assim como você!

Minha história é única também...
Intransferível...

Ninguém mais viveu mesmo destino...
Ninguém mais trilhou idênticos caminhos...

Nenhum amor igual aconteceu por aí...
Nenhuma saudade tem a mesma dor...

Outro passado não tem iguais lembranças...
Outro futuro não será da mesma cor...

Minhas alegrias... são minhas!
Minhas tristezas... também!

Até mesmo minhas crenças são originais...
Ainda que meu Deus seja o mesmo pra você!

Em meio à multidão, entre olhares dispersos e distantes,
sonho algum será igual ao sonho meu!

 *Poesia premiada em 1º lugar no XIV Concurso Internacional do Mercosul.
YEDA ARAUJO PEREIRA
 Outubro/2009

 

7- TU
Ferdinando
©

Theca Angel

Porque enches a vida de queixume
Ao olhar o nosso espanto dilatado,
Rubro desejo nascido do perfume
Que fomenta cada sonho desejado...

Porque falo de sonhos, devaneios...
Juras, que o teu olhar fazem brilhar
E tento afoita por todos os meios
Em meandros do amor te enredar...

Incendeias promessas em cardume
Na fortuna do teu corpo imaginado,
Nas estradas do amor e do ci
úme
Sobrevoa o teu olhar incendiado...

É de teu fascínio o desafio
Que insisto no ciúme ocultar...
Então em ti meu corpo irradio
Prendendo com malícia teu olhar...

Nas horas nascidas, no cerrar do dia
Pintas o poente, dourado de magia,
Vives no et
éreo como filha do luar.

Nas sombras nuas me insinuando
Suaves fios de prata vou tramando
E com o luar recubro et
éreo leito ...

Teu olhar é a fronteira que se abriu,
Como ternura de criança que sorriu
E pro idílio dos ventos foi morar!

Se o olhar transmitiu a inocência
Sussurros extinguem a demência
Na carícia que teu peito faz brotar!

Germany 24-10-09

Brasil 25-10-2009

 

8- OLHAR DO SOL
Ferdinando©


OLHAR DA LUA
Joyce Sameitat

Como a árvore dorme olhando o rio
Quando o dia se faz livre na paisagem,
Minha espera fica bordando no vazio
O olhar venturoso da tua imagem...


Eu sempre acordo de olhos no mar
Já que a noite é minha companheira;
E tranço tua espera em meu luar
E faço do teu reflexo minha esteira...

Sorriso do longe, filha do meu brio
Beijas o meu rosto na passagem,
Aqueces cada canto mais sombrio
Dos amores perdidos na voragem


Acalento na noite meu desvario
Retribuo teu beijo com minha aragem;
Jogo meu luar como um vozerio
Procuro este amor em minha passagem

Tornas o centro do mundo incendiado,
Teu olhar no distante é o meu prado
Numa imensa felicidade de ter tudo.


Com minha luz fria meu amado;
Procuro tua visão de modo rastreado
Pois que como lua vejo a fundo.

Adormeces, no entardecer das dunas,
E em leito macio como espumas
Povoas os meus sonhos de veludo.


Acordo no anoitecer que murmura,
Me elevo em teus sonhos ao céu bem soturna
E te procuro em meus pensamentos mudos.

Germany 07-12-09
São Paulo 10-12-09

 

9- TEU NOME... MULHER
Ferdinando©
 
Há candura no olhar que te divinou,
Na vida que perpetuou tua existência!
Divindade que o tempo eternizou,
Nas páginas do vigor da tua essência.
 
Da tua origem há universos de amor...
Brotando em sorrisos sobre a terra,
Como se fosses origem do sol criador:
- No peito do homem, que te encerra!...
 
E no caminho que a vida te alicerçou,
Foste o ventre que a todos nos gerou
Forte crença, que amplificou o mundo.
 
És Deusa... de encanto sem barreiras
Serás sempre a chama sem fronteiras
No fascinante desejo mais profundo!...
 
Germany 06-03-08

<<<<<<<<<<<<<<<<<

MULHER
 (Odir, de passagem)

Poeta para sempre enamorado
e apaixonado, de paixão extrema,
tento ser prosa ou verso de um poema
decantando a mulher que tenho ao lado.

Do quanto que lhe quero e tenho amado
muito pouco falei. Eis o problema.
tentando redimir-me do dilema
um soneto lhe faço, dedicado

não só ao meu amor, para quem vivo
e pra viver concede-me o motivo,
mas, num sentido amplo e mais profundo,

a todas as mulheres alusivo,
pois são delas o dom e o condutivo
de dar mais vida e mais amor ao mundo!

oklima
JPessoa, 28.02.10

 

10- MULHER E MÃE
Ferdinando©

Tu, que alicerçaste o meu destino
Na distância de mulher e de amada,
Alindaste meus sonhos de menino
Num olhar, como luz da alvorada.

És, lucidez das rosas em floração
Como a haste se prende na herdade,
Plantas o sorriso, em cada coração
Na doutrina da tua humanidade...

Nem o tempo conta a tua idade,
Serás o eterno, regaço da verdade
Cintilando, na noite dos abrolhos...

Alegres são as cores da eternidade!...
As rugas do teu rosto são saudade,
Que...do coração, fala aos olhos.

Germany 06-03-10



OBRA - PRIMA
Amilton

Reparem na beleza que é um pôr-do-sol,
e vejam o esplendor da bela lua cheia!
Lancem um olhar no vale quando esse lençol
de névoa deixa branca e linda toda a aldeia...

Mirem pras cores que ornamentam o arrebol,
e as flores cuja graça os jardins recheia;
ouçam o cantar mavioso de algum rouxinol...
Notem os milhões de estrelas, como grãos de areia...

É incrível a quantidade dessas maravilhas
que o Criador nos deu apenas por amor,
somente por imenso afeto aos filhos seus!

E tudo, sem falar no encanto das famílias
às quais a mulher dá inteiro o seu labor...
Mulher, a obra-prima de nosso Bom Deus!

Brasil


 
 

 

LIVROVISITAS
amor