TU E EU1

CIRANDA

NA NOITE DO NOSSO JURAMENTO

POETAS PARTICIPANTES

1 - Ferdinando

29 - Rogerio Miranda

2 - Graça Ribeiro

30 - Noris Roberts

3 - Jorge Linhaça

31 - Maria Granzoto

4 - SussuLuz

32 - Naidaterra

5 - Lígia Antunes

33 - Sávio Assad

6 - Rosi Mori

34 - Graça Cardoso

7 - Myrian Benatty

35 - Gildete Vieira

8 - Marlene Constantino

36 - Adélia Mateus

9 - Humberto Poeta

37 - Maria

10 - Thereza Mattos

38 - Marici Bross

11 - Regina Bertocelli

39 - Sueli Espirito Santo

12 - Gui Olivia

40 - Milamarian

13 - Eda Carneiro Rocha

41 - Rosappaula

14 - Augusta Schimidt

42 - Mercília Rodrigues

15 - Vera Jarude

43 - Katy Dominguez

16 - Marcial Salaverry

44 -Bernadino Matos

17 - Priscila Loureiro

45 - Raquel Caminha

18 - Pilar Casagrande

46 - Ilze Soares

19 - Gislaine Canales

47 - Faffi

20 - Maria Thereza Neves

48 - Nilton Nallim

21 - Lu_ Guerreira

49 - Mila Pereira

22 - Luiz Poeta

50 - Lina Rocha

23 - Wandisley Garcia

51 - Betty

24 - Heloisa Abrahão

52 - Sueli AP. Lopes

25 - Anna Peralva

53 - Isadora

26 - Schyrlei Pinheiro

54 - Lorenzo Yucatán

27 -Marilena Trujillo

55 - José Ernesto

28 - Tere Penhade

56 - Cássia Vicente

01. NA NOITE DO NOSSO JURAMENTO 
Ferdinando
 
Lembras-te amor daquele dia,
Como nos olhamos brilhando de paixão!
Perplexos sorriamos, caminhando frente a frente
Para quatro braços que se abriam em saudade,
Num ansiar que magoava nossos corações
Desaguando neles o desejo que rasgava
A calma triste e já sem brilho que nos devorava...
 
Oh amor !... Se te lembras ainda...
Nossos lábios se magoaram em beijos febris
Na ânsia de um desejo incontido!...
Meus dedos esguios serpenteavam
As curvas dos teus seios apetecidos
 
E nas horas que se faziam mais desejos
Vencidos, nos despimos lentamente sobre o teu leito
Que nos abraçava festejando o nosso querer
Em desmedidas formas como só a loucura sabe!
 
Fomos apaixonados amando num só querer
Num delírio de gritos, e em juras de amor...
Trocamos a delícia dos nossos corpos
Na maior loucura sensual, à hora
Da luz incerta do luar que nos espreitava
 
E assim ante este desejo saciado,
Adormeci na curva do teu peito,
Cativo pássaro que encontrou seu ninho
Para o futuro do seu amor eterno!
Alemanha
www.fersi.de


02. Saudade
Graça Ribeiro

Lembro-me a ternura daquela noite
em que nossos olhos foram estrelas
e o azul do céu estava dentro de nós

Como esquecer aquele encantamento
sua boca em minha boca... o infinito
a lua por testemunha...enamoramento

Ah! Como não me lembrar dos teus carinhos
tatuagem em minha pele... marcas de prazer
despertando no meu corpo as delícias de viver

Como esquecer aquele momento de silêncio
em que perdidos em nosso mundo achamos
o grito escondido nas dobras do tempo

Ah! meu amor jamais poderei te esquecer
Se fecho os olhos ainda te sinto ao meu lado
sorrindo, brincando, feliz, apaixonado...

Nossa noite primeira...nossos instantes primeiros
a timidez do olhar, as descobertas, brincadeiras
a embriaguez do desejo...tudo tão bom...verdadeiro

Como o agora te trazendo para perto de mim
a emoção de um instante...a memória...Amor
felicidade para sempre no tempo da saudade.
Brasil


03. JURAS DO PASSADO
Jorge Linhaça
30/08/2006

Lembro as juras assim trocadas
em noites de amor tão redivivas
nas memórias ora tão emocionadas
de duas almas que já foram cativas
e nos sentimentos presas e libertadas
no banquete do amor dois convivas

Como esquecer os momentos divinos
os olhos a brilhar em puro esplendor
Como olvidar os nossos desatinos
nauuelas noites ardentes de amor?
Ah , mas como foi padrasto o destino
que permitiu murchar aquela flor...

E hoje na penumbra da alcova perdido
entre sonhos loucos e suaves devaneios
segue meu espírito de amor imbuído
revivendo n'alma os meus anseios
de ver o nosso grande amor restituído
de voltarmos a viver nossos enleios.


04. Lembranças
*SussuLuz*

Esquecer aquele momento?
Como poderia?
Se foi especial, de pura magia,
jamais o esqueceria.

Foi um encontro de dois corações que se amavam
que se queriam e que se pertenciam,
Foi quando a mulher pode dar-se ao homem amado,
do homem dar-se a mulher amada.

Foram momentos sem pudores, sem resistência,
onde entregaram-se completamente
ao amor, à emoção,
sorvendo e sentindo a cada gota do prazer
produzidos por corpos sedentos de paixão.

Foi quando puderam na alcova tocar as estrelas,
 e deixar a fragrância do amor os dominar,
os desejos tomar conta dos corpos que
não conseguiram mais
segurar o furor e a emoção...
onde chegaram juntos ao momento
do êxtase total da paixão...


05. Em qualquer amanhã
Ligia Leivas

Quando te conhecer
quero apagar as cicatrizes tristes
dos amargos de aço do tempo
das emoções sem sabor

Pelas esquinas do mundo
pelos arrebóis das matas
quero te encontrar com todo amor
em teu sentimento mais íntimo
descobrir o teu fascínio
na carícia do teu ser

Quero em ti sentir
a maciez de tua voz
o encanto de teus olhos
a voracidade de teu beijo
e todo teu profundo ardor
que se fez palavra um dia

Neste encontro de paixão apetecida
em teus braços, entre abraços
seremos todas as luminosas cores
nos matizes decada hora amanhecida

Então, te amarei em todas as ventanias
em todas as calmarias
Eu te farei feliz por toda vida
até às cercanias do infinito

E eternamente te direi
e não me cansarei de repetir
de sussurrar junto ao teu ouvido:
"Ferdinando, meu poeta bendito!"


06. Lençol de Seda
Rose Mori

Ainda tenho guardado
o lençol que cobriu nossos corpos
naquela noite...
E sempre que a saudade
invade este coração irreverente
e sem juízo,
envolvo-me na maciez de sua seda
e recordo...
Teu carinho, mais do que carinho,
um pedido.
Teus beijos, mais do que beijos,
uma súplica.
E atendi ao pedido,
cedi às súplicas
e me entreguei!
E fui amada!
- como nunca o tinha sido antes...
Entreguei-me
e te entregaste.
Dei-me por inteira
e por inteiro te recebi.
O fogo que consumia nossos corpos,
e entorpecia a mente
deixava sobre a pele
o calor abrasante de um dia de verão.
Não eram apenas trocas de carícias;
eram segredos que iam sendo desvendados:
meus e teus...
Não eram apenas corpos se dando,
eram duas almas em perfeita sintonia.
Era o reencontro tão esperado!
Mas ainda não era chegada a hora,
a nossa hora.
E assim, cada um seguiu seu caminho.
O teu, não sei até onde te levou.
O meu, me trouxe aqui,
neste ponto da vida sem sentido,
porque o único sentido da vida,
para mim, só tem um nome
que calo dentro do peito
para que ninguém perceba,
para que ninguém descubra
que és tu, ainda,
a razão de minha existência.
05/02/2005
 

07. ESTOU CHEGANDO
Myrian Benatty
 
Portas entreabertas
Seu corpo nu,
Deitado na cama.
Á minha espera.
O vento bate na janela,
Perfumando o ar,
Com essência de almíscar,
Chego de mansinho,
Beijo-lhe a nuca,
Percorro seu corpo com minhas mãos,
Sussurro-lhe nos ouvidos palavras ternas,
Em busca do seu prazer, do meu prazer


08. AZUL ERA A ROSA
*Marlene Constantino*

Lembrar de você é recordar aquela rosa azul,
desfolhada esparramada a teus pés
sedenta, suplicante, carente, dependente.
Lembrar de você é lembrar do esquecimento,
do riso abafado no peito, que era contente.
Lembrar de você é não lembrar de mim;
é esquecer que a vida é um presente constante,
é deixar passar desapercebida as oportunidades.
Lembrar de você não trará de volta os sonhos,
que como água, entre os dedos se esvaiu ,
como fina areia, no solo se fez dormente.
Lembrar de você é apenas seduzir a alma,
flor rosa que não mais voltará a ser azul
em fultacor colori o espírito e o coração.
31/08/2006 -ASOL*
ARTBY


09. Êxtase
(Humberto Rodrigues Neto)

Suspiros...
 murmúrios... 
gemendo surdinas de nãos
camuflados de sins...
 Desejos afagando esperas
sutilmente proteladas...
Retinas indiscretas
flanando sobre vales de seios...
sobrevoando planícies feitas de ventre...
Faldas descaindo gêmeas
em fímbrias de suave alfombra...
 velando
róseos aconchegos!

Ardência...
febre de mãos inquietas
afagando arrepios de ancas marmóreas...
tateando mormaços indevassados
de formas em penumbra...
Mãos metrificando contornos...
premindo... franqueando...
 Lábios ousando sedas...
roçagando rendas...
despenteando vegetações crespas...
sorvendo reentrâncias...

Tremente...arfante...
buscando... pegando...
palpando... sentindo... tateando...
devassando Édens anatômicos proibidos...
Falo fluindo transes...
lasseando recantos úmidos...
ansiando profundidades...
roçando...encostando... forçando estreitos...
violando vestíbulos vermelhos...
gemendo monossílabos...
ganindo ais
na síncope de um ser
explodindo em espumas
dentro de outro ser!


10. Sonhos e Pesadelos
Thereza Mattos

Que importa, sonhos também são pesadelos
Quero viver ainda esta emoção
Aqui perdida entre mundos paralelos
Entre a realidade e a doce ilusão....

Que importa se desperto chorando
Quando penso que ainda estas comigo
Sempre e sempre e mais te amando
É s meu pai, meu amante , meu abrigo...

Que importa se teus lábios já tão frios
Não conseguem esquentar os lábios meus
Beijos distantes, leves, distraídos
Displicentes, sempre querendo dizer adeus...

Assim vou vivendo, desejando te esquecer
Meu coração cortado em estilhaços
Descompassado, envergonhado por querer
Jogar-me sem brios, em teus braços....
Brasil.


11. POSSO VER VOCÊ CHEGANDO
Regina Bertoccelli

Aqui na penumbra de meu quarto,
onde na cama ainda desfeita
descanso o meu corpo suado, cansado
Doce sensação trazida de meus sonhos

Posso ver você chegando
Seu perfume está no ar
Nos lençóis quentes e molhados,
onde suas marcas ficaram impressas
Feito tatuagem seu cheiro está em mim

Posso ver você chegando
Trazendo-me em seu olhar o brilho das estrelas
E o aconchego da madrugada
que lentamente se vai

Posso ver você chegando
Trazendo em sua boca o calor de seus beijos
Em seu corpo o desejo da paixão
Um fogo gostoso que queima como brasa

Posso ver você chegando
Tomando-me em seus braços pra um abraço
Doce, terno, envolvente
E me propondo outros sonhos
E me amando
E me querendo
E me tocando
Ah, eu posso sim,
ver você chegando...


12. RECORDO
Gui Oliva

o prazer daquele encontro
nós dois feito crianças
 sem saber lidar
com o contraponto

de dois corações ardendo
como fogo
e uma certa tensão
para que não ocorresse
um desaponto

e pela troca dos nossos
 olhares enternecidos
foi que falamos
nos indagando:
nos amamos?

o que será isso que sentimos
que atração é essa
que, compreender
para viver, tentamos?

e a resposta veio
em forma de um delírio pleno
e abraçados, juntinhos,
nos beijamos

e foram tantos beijos loucos
e tantos risos soltos
e tantos gritos roucos
que enlaçados
e em lençóis de seda
finalmente nos amamos.
Santos/SP agosto/06



13. Quero Te Conhecer um Pouco Mais!..
Eda Carneiro da Rocha
 
Quero te conhecer um pouco mais!..,
Saber que a esperança habita em nós e se faz morada!
Quero conhecer esses lábios divinos
que imploram o meu beijo!
Esses olhos lindos que esperam os meus!..
 
Que não haverá mais partida!..
Só chegada!..
Que juro que não mais te deixarei assim ao léu,
me procurando nessa ânsia perdida
de corpos e almas
que se procuram, na distância!
 
Nessa distância que me mata
que me faz menino sem pouso,
passarinho, sem ninho,
caracol sem teus cabelos,
enrolados nos meus!
 
Ah! Quero te conhecer um pouco mais,
para saber que nasceste pra mim
que vives pra mim e por mim,
nesse eterno desencontro!..
 Araruama
Est.RJ/ setembro/06 

     
    14. Juramento
Augusta Schimidt
 
Nesta noite,
Com a lua por testemunha
Juro solenemente
Que vou te amar eternamente
 
Enquanto houver um sopro de vida
Vou dedicar meus dias
A esse amor somente
Esse amor que já nasceu grande
E pela vida se perpetuou...
 
Vou te amar
Assim como amo o calor do sol
Como amo a luz das estrelas
E o brilho da lua
 
Vou te amar
Como amo seus olhos verdes
Essas gotas de esperança
E que ao fita-los
Sinto doces e suaves lembranças.
 Campinas/01/09/2006
13.00h


15. Nosso juramento de amor!
Vera Jarude

Dois seres que encontraram-se
perdidos e sofridos.
Uma força estranha, brincou
com os dois.
Momentos de amigos e momentos
de amores...
E neste brincar este amor foi
crescendo, tal qual uma
roseira, linda!
Ora dá flores e ao mesmo
tempo nos fere com seus
espinhos...
Venho regando a cada dia,
igual a orquídea que você
encontrou...
Nosso elo é forte, aos espinhos,
ao tempo, aos desencontros,
aos sofrimentos, enfim
ele será mais forte e
sobreviverá a todos e a tudo,
foi isto que você falou
meu amor!
acreditei em você e aqui estou
soltando as dores
que vem do coração.


16. LEMBRANÇAS
Marcial Salaverry
 
Evocações nostálgicas...
Lembranças de um lindo momento,
gratificante, gostoso...
De um momento de carinho,
de um amor,
talvez pecaminoso,
que marcou nosso caminho...
Foram momentos vividos
com intenso prazer,
dando vontade de morrer,
pelos prazeres sentidos...
Lembranças nostálgicas que ficaram...
Gestos que marcaram,
lembrados depois da partida,
recordados por toda a vida...
Vive-se dessas lembranças...
Doces recordações...
Talvez nunca mais repetidas.
Valeram serem vividas...
Alguma coisa para lembrar,
algo a que se apegar,
quando a saudade apertar....
Nostálgicas evocações...


17. Saudade
 Priscila de Loureiro Coelho


Invade aos poucos o espaço
Vazio onde andou o abraço
Saudade é reverso de alegria
Chega a ser companhia
Causando algum embaraço
 
Saudade é por fim agonia
Vontade de ter você
Saudade é como poesia
Guardada sem ninguém ver...
 
Priscila de Loureiro Coelho
Jacareí _ S.Paulo
 

 18. A DISTÂNCIA
 Pilar Casagrande
 
Os bons amantes são como os pintores!
É preciso se afastar um pouco
Para ter uma visão melhor do conjunto,
Uma melhor perspectiva.
É por isso que se fala em “amor cego”,
Porque a proximidade cega:
É cego ao conjunto,
É cego à perspectiva geral,
É cego às conseqüências,
É cego ao futuro...
E se faz dos amantes o centro da vida
Ou o cume mais alto na hierarquia de valores,
Até o ponto de os amantes se isolarem nas alturas
Do conjunto de valores que a vida tem...
O bom pintor não despreza o quadro
Ao afastar-se dele!
Ao contrário:
Ele o ama mais e se afasta,
Porque é só assim,
Com perspectiva,
Com uma boa visão do conjunto,
Que poderá ver os acertos e desacertos
E fazer as modificações necessárias
Para que sua pintura seja perfeita.
 Rio Claro / SP
 
 
 19. Glosando Gisele Bueno Pinto
Gislaine Canales
 
 “AMADO – AMANTE”
MOTE:
 
São flores, luas e mares
reservadas no meu peito,
que estarão, quando chegares
te esperando no meu leito!
 
São flores, luas e mares
um amor quase paixão
que me inspiram “quintanares”
e momentos de afeição
 
São lindas as emoções
reservadas no meu peito,
através das sensações
de um amor quase perfeito.
 
O estranho brilho dos ares
e o perfume do alecrim
que estarão , quando chegares
hão de falar-te de mim!
 
O meu corpo delirante
no meu ego satisfeito,
estará “amado-amante”
te esperando no meu leito!
www.gislainecanales.com
 
 
 20. SAUDADES
Maria Thereza Neves
 
olho o mundo lá fora
não vejo mais estrelas aqui dentro
recordo a dor nua da saudade
odeio a rima do dia a dia que chora
 imploro apenas por mais um momento
de sonhos eloqüentes ,
fantasias de doces afagos
 dos beijos e abraços dos teus braços.
 
 
21. O nosso amor
Lu_guerreira
 
Me abraças, tocas meu corpo tão
delicadamente.
Que custa-me a crer que es meu,
que aqui estou ao teu lado.
 
Sentindo teu coração pulsar
mais forte junto ao meu,
amo você, nunca vou deixar de te amar,
vivo esse amor com loucura,
 
sempre querendo perto de você ficar
e deixar o tempo lá fora passar,
lentamente.....
E não perder um minuto perto de ti!
 
Quero você agora, hoje, amanhã,
te quero em todos os momentos
da minha vida...
Quero você perto de mim para sempre!
 
Para viver esse amor,
que é somente meu e teu,
Amo você, quero você...
E para sempre juntos vamos ficar,
 
pois o nosso amor é tão grande que
não precisamos nos apressar,
pois ele é algo muito especial.
É assim... O nosso amor!
 


 22. " ILUMINOITE "
Luiz Poeta ( SBACEM - rj ) - Luiz Gilberto de Barros
Às 15 h e 29 min do dia 30 de abril de 2005 do Rio de Janeiro
( tempo chuvoso, nublado e estranhamente alpino )


Tu anoiteces em mim quando me evitas,
Mas te iluminas em mim quando me abraças...
Se te aproximas de mim, tu me palpitas,
Se te afastas de mim, tu só me matas.
 
Tu ensombreces o amor, quando te negas
A iluminar meu olhar com teu olhar
E se eu me entrego inteirinho e não te entregas,
Sou como luz sem brilhar... onda sem mar.
 
Se a solidão me envolve, eu anoiteço
E há nos meus olhos vazios, escuridão
Mas quando penso em teus olhos e adormeço
Volta, espontânea, a luzir minha paixão.
 
Se o meu amor apagar-se... apaga tudo:
O teu olhar, tua luz, teu corpo ausente,
E se eu olhar teu olhar e ficar mudo,
Minha emoção fica fria... e não mais te sente.

 
23. Esquecer o Juramento
Wandisley Garcia
 
Esquecer o juramento
do nosso sonho, emoção?...
Esquecer nosso momento
que falava o coração?...
 
Os desejos incontidos,
ah! se te lembras amor!
Ficaram permanecidos
na lembrança, no calor!
 
Hás de lembrar...e bem mais
neste futuro risonho,
este eterno amor demais:
nos aponta todo sonho!

 
24. A noite juramos
Heloisa Abrahão
 
Você tão belo a devorar-me com o olhar
Vejo o teu desejo a te consumar,
Nos teus braços sua princesa, bela feiticeira...
Com você só tem primavera.
Flores, cores, gorjeios e mágia.
Você me toma nos braços, sem cerimonia
Nossos corpos se enlaçam, trocando de posições.
Você meu macho, eu sua fêmea na luz do luar.
Nossos sentimentos afloram...
Você repete a cada segundo juras de amor
Sussuradas com carícias, em meio as delícias
De nos entregarmos ao prazer sem igual.
A noite juramos nunca nos afastar
De manhã, amor para confirmar.
A noite o ciclo se repete,
juras e mais amar.
 

 25. Prelúdio ao que virá
Anna Peralva

Que meus beijos acariciem
a pele de sua alma
e, a cada toque
haja transformações...
Se fosse luz, que se revelasse
 a mais intensa.
Se florisse um sorriso,
traria consigo doce inspiração;
se houvesse fantasia,
seria capaz de contaminar a realidade
e se espalhar em raios de felicidade,
que apartariam minha saudade.
Se água fosse, apagaria este ardor
que consome meu corpo...
Se brotasse sentimento,
que fosse um só
e, sendo amor, pudesse se exprimir
sem disfarces e sem receios;
fluindo sublime,
verdadeiro e intenso.
E um só olhar
bastasse para revelar
o prelúdio ao que virá.
Anna Peralva
 
 
26. SONHOS MEUS
Schyrlei Pinheiro
 
 Pensamentos que são só meus,
na vida que juntos vivemos,
compartilhando momentos,
eternizados no tempo,
que a história poderá desfrutar,
mas que jamais descobrirá
 os sonhos que não sonhamos juntos,
separando a razão do ser,
 que adormece, para, a sós, sonhar
 com a própria fantasia,
 que, livre, não perde
a liberdade de ir além de si,
e voltar sonhando
com a realidade sagrada,
 conjugando o verbo amar
no infinito dos sonhos
só meus 
Setembro de 2006
 
 
27.Nada é para sempre...
Marilena Trujillo
 
Nos cruzamos, nos reconhecemos
No amor, nos sonhos e desejos...
Na ânsia de amar e ser amado...
Seguimos da ilusão... o cortejo...
 
Um romance proibido? - Condenado?...
Ou santificado... prometido no passado?
Disse a esfinge: - Decifra-me ou devoro-te!
Atire a pedra quem de nada for culpado...
 
Anjos decaídos... vagando pela noite,
Em busca de um canto, de um beijo...
Secando as lágrimas um do outro...
Mas sem culpas... um amor perfeito....
 
E na madrugada, longe dos olhos
Dos curiosos e cruéis carrascos...
Vivemos nosso amor desventurado,
Como crianças à beira do penhasco.

 Nada é para sempre... nada é eterno,
Hoje somos apenas vazio e saudade,
Mas sem pecados... sem remorsos...
Valeu o amor vivido, a impetuosidade.
 
Poucos amaram como nós dois...
Com tanto ardor e profundidade.
Seguirás sendo meu ... e eu tua...
Que a morte enterre nossa verdade!
Mary Trujillo
02.09.2006

 
28.Na noite do nosso juramento
Tere Penhabe
 
Sim, eu me lembro do nosso juramento
foram inesquecíveis aqueles momentos
mergulho insano na nossa saudade
 entre sorrisos e lágrimas, ardentes de paixão!
 
Ah, meu amor, como poderia esquecer
se foste a fonte de águas cristalinas
 que saciou minha sede, que me deu de beber
em beijos trocados com sofreguidão!
 
Sim, eu me lembro de cada êxtase
que aquela noite nos proporcionou
como nos egrégios cultos de Dionísio
nossas almas alcançaram o infinito.
 
Foram tantas as juras, inesperadas
prometemos muito mais do que devíamos
abonados por nossas loucuras e delírios
e pela lua que cintilava soberba no céu!
 
Mas não acordaste do teu sono
em vez do amor, fez-se eterna a ausência
essa dor constante a dilacerar o peito
que foi teu ninho um dia, feliz e saciado...
 Santos, 02.09.2006
www.amoremversoeprosa.com
 
 
29. SAUDADE
Rogerio Miranda

Saudade foi uma parte de mim
que ficou no passado,
onde ao lado de um sonho
eu encontrei uma aventura
e nela cavalguei, pelos
caminhos do amor...

Saudade, desperta
uma paixão adormecida,
mas acorda com a canção
que embalou uma tarde
e adormeceu na noite
do esquecimento...

A saudade conheceu
o gosto da felicidade,
que em doses de amor
viveu momentos
mágicos da sedução...

Saudade, é um pedaço
de emoção do poema
que acena para o amor,
lembrando da
despedida que em lagrimas
deixou o coração
marcado com os versos
da tristeza...
Rogerio Miranda
poeta da paz
 

30. Evoca mi corazón
© Noris Roberts
 
Evoca mi corazón, los besos que saciaron
el interludio de mi cuerpo.
El bermejo de mi desnudez.
En una sola frase de amor
cuando disfrutabas de mis encantos…
y seguía amándome en el lirio del alba.
Cada bocado de tu aliento
era un sublime sentimiento...
cuando hacías delirar mi corazón
bebiendo mi piel, mi lujuria de mujer.
Demasiado enamorada para no entender razones.
Hoy sentí un desgarrante dolor..
y la añoranza de volver a reencontrarme con tu amor.

Evoca meu coração,

os beijos que saciaram o interludio de meu corpo.
O bermejo de minha nudez.
Numa só frase de amor
quando desfrutavas de meus encantos…
e seguia amando-me no lírio do alva.
Cada bocado de teu alento
era um sublime sentimento...
quando fazias delirar meu coração
bebendo minha pele, minha luxúria de mulher.
Demasiado apaixonada para não entender razões.
Hoje senti um desgarrante dor..
e a saudade de voltar a reencontrar-me com teu amor.
© Noris Roberts
 

31. ENTREGA
 Maria Granzoto da Silva

Foi assim, bem me lembro...
Nossos olhos diziam por
nós...
Estaríamos, um dia, atados
por seguros nós...
Até que chegou a hora, o dia!
Foi um querer não sabendo se queria,
se deveria...
Nada falamos. Você me sorrria,
eu, também, sorria!
Demo-nos as mãos...
Eu, trêmula, fui docemente levada ao seu peito!
Não teve jeito...
Corpos colados, bocas entreabertas,
Levemente se roçando...
Arfantes!
Você me querendo,
eu, me entregando...
Então, nossas bocas se uniram,
Nossos corpos vibraram,
Ali, no chão,
doei a minha alma!
Entreguei meu coração!
Maria Granzoto da Silva
Brasil


32.IMPOSSÍVEL ESQUECER...
Naidaterra

Entre beijos e abraços,
juntos, bem juntos
nos amávamos...
Teus olhos fitos em mim
não ousaram piscar só um instante,
cada segundo era precioso...
Nosso amor tão sentido e verdadeiro
não ultrajou e se manchou, foi o suor
misturado ao néctar do nosso prazer...
Juramos amor eterno mesmo que breve
na incerteza do minuto seguinte...
Lembro e ainda sinto meu corpo
flamejando ao teu chamado e o teu
minha ilha que banhei com os desejos meus...
Esse amor me chama...
E há tanto o que ainda sentir...
E há tanta coisa ainda a dizer...
Mais juras de amor
trocar com você....
Naida
Sampa


33. Na Noite do Nosso Juramento.
(Sávio Assad)

A lareira queimava sonolenta, crepitando ao acaso.
Nossos corpos deitados sobre o tapete estendido,
Nudez presenciada pelas chamas ardentes de beijos
Carinhos e envolvimento cadente nesta noite fria.

Com o coração em súplicas apaixonadamente e elegantes
Sorvíamos o vinho tinto do amor e da igualdade,
Palavras soltas ao vento, foram se formando em frases
Sussurradas ao pé do ouvido, descaradamente.

Juras de amor eterno, acalentando os corações,
Agora em pulos gigantescos, eternizado pelo momento
Único em nossas vidas, sacudindo todo este ser.
Que amanhecia com o sol botando em nossas faces.
Niterói - RJ - 03/09/2006


34. SAUDADES
Graça Cardoso
 
Hoje desabafo com meu caderno
Vou dizer da saudade que sinto de ti,
Quando anoitece, tudo se aquieta,
Você se afigura nas minhas lembranças
 
De saudade meu coração sofre,
Fecho os olhos,
todas as cenas vão desfilando em minha mente,
 
Do primeiro encontro,
ao beijo tímido
dos risos felizes como crianças.
 
As tardes cálidas embalavam nossos sonhos,
de suas mãos, ainda guardo calor.
Mãos que acariciavam, e arrepiavam meu ser.
Ouço sua voz suave e gentil
Estranho! ...De tantos predicados sua gentileza me conquistou.
 
Conheci então outro lado, até então desconhecido
Saudades de nossas conversas
trocamos idéias, aprendemos novos conceitos,
Sim! Nossos universos são diferentes
 
Saudades do amor que cresceu,
floresceu e nos fez felizes
 
Tantos beijos foram trocados,
nosso corpos entrelaçados
Vibramos, rolamos e nos amamos,
Dos sentidos, isentos ficamos,
quando de amor explodíamos
 
Com saudade!
Estou te esperando
por um dia que tenhamos
de novo nosso amor
que sempre sonhamos!
De saudade...
Graça
www.diamantepoesias.com


35. Amor
Gildete Vieira

Palavra mágica
inebriante, quente.

Compartilhado,
alcança cada célula de noosso ser.

Amor,
chama acesa em cada coração.

Compreendido,
chega ao cume numa explosão.

Amor,
encontro de corpos ansiosos,
tentando alcançar o clímax.

Num abraço,
desejo caloroso em beijos molhados, ardentes.
Cada um fazendo sua parte
e num só corpo se transformam.
Autora: Gildete Vieira.
Natal-Brasil.


36. SILENCIOSO AMOR
Adelia Mateus

Com o entardecer este silêncio aumenta...
As estrelas surgem...
Os pensamentos viajam,
procurando por você.

A noite é longa...
Sonho acordada com este amor
que se alojou no coração
deixando fortes emoções...

Chega a madrugada,
os pensamentos vagueiam...
Num rolar constante na cama,
estou pensando em você.

Amanhece...
Mais um dia de silêncio,
esperando por você,
para viver
um grande amor...


37. JURAMENTO DO AMOR
Maria

juramos amor eterno, un dia
ahi, quedamos,,,como unidos para sempre
nao temos distancas, so, que voce ja nao moras em esta vida
voce ja nao estas.so em meu sentimento

juramos amor eterno, sellamos ese amor com a divina creacao.
que foi de nosso vivo amor
meu primer amor..tanta saudade.
nao vou te chorar...ate consegui.uma imagen, tao parecida a
tua beleza , tao bonito...
meu homem..branco..sensivel.,
sem compromisos...
quando foi ese momento,,de te comprometer,...
DEUS, te pidiu.ao ceu...meu amor
tanto tempo,,,,sem espresar...
aquelo que podia,,,ser felicidade
asim foi....asim e
deus te abencoe.
e me de felicidade....sem lembrarte....tanto
con amor, MARIA,


38. NOSSO JURAMENTO
(MARICI BROSS)

Foi, numa noite de lua cheia.
Nos encontramos por acaso
Nossos olhares se cruzaram

Ficamos longamente fitando
Um ao outro, era uma atração
Que foi se tornando irresistível
Nos aproximamos

Sem perceber nos beijamos,
Foi um beijo quente e ardente
Que nos levou a um amor irresistível

Tivemos que nos separar
A noite esmaecia, e fizemos
Nosso Juramento, nesta noite

Voltaríamos a nos encontrar
Todos os dias de Lua Cheia
No mesmo lugar e hora

Deste juramento restou
Um amor infindo
Que ainda queima
Minhas entranhas
SP, 03-09-06.


39. JURAS DE AMOR
Sueli do Espírito Santo

Das juras de amor eu bem me lembro
no pequeno espaço, tão imenso
naquela doce noite de novembro
repleta de um tão amor intenso

O teu expressivo olhar de garoto
todo extasiado, brilhando de prazer
tantas lembranças vivem a trazer
o teu gosto, o teu jeito maroto

Foi quebrado o nosso juramento
mas não tem como esquecer
o lindo amor daquele anoitecer
pois ainda guardo no pensamento


40. HOJE APENAS UMA LEMBRANÇA
Milamarian

Recordo-te ainda nestes alvos lençóis
teu perfume deitado sobre os meus anseios
a rouca voz na sofreguidão de tantos desejos
murmurando na penumbra suaves bemóis.

Lembro-me espiralada em teu doce regaço
tangidos os delírios em caloroso abraço
oscilando na calmaria de teu peito
o palpitar de tanto amor satisfeito.

E de tanto ardor espalmado neste leito
vivo na esperança de teu retorno sem demora
na lembrança que me resta dos teus beijos.

Quiçá o bravio mar que hoje nos separa
lembre-se da nossa jura daquela aurora
e devolva-te em mansa onda à tua seara.
Japão
06.09.2006


41. O TEMPO
Rosappaula


Anoitece e peço a Deus para que faça
o tempo voltar.
Ah se eu pudesse reviver intensamente
cada momento daquela noite em seus
braços, transgredindo todas as leis,
subjugado aos meus desejos.

Aprendemos juntos a construir o nosso
amor que está em nossas falas, em nossos
olhos e em minha mente.
Lembro-me quando nosso olhar morria
após um longo beijo e meu peito palpitava
de tanto desejo.
Atraído pela minha delicadeza de fêmea,
abraçava-me com toda a força de um
 amante com paixão ousada.

Senti na carne a louca efervescência
e góticas miragens de prazer, quando suas
mãos tateavam todo o meu corpo enquanto
seus lábios quentes e molhados repousavam
sobre meus seios.
Daquela vez demoramos mais tempo amando,
e cada vez mais me entregava por inteiro
às delícias daquele amor.

Cada momento se fez em saudades...
Preciso do seu olhar, de sua voz,
de seu sorriso...
Sei que não ouve os lamentos desesperados
e não vê as lágrimas ardentes que meus
olhos vertem num pesar imenso por não
conseguir retornar ao TEMPO.
Abraços da amiga,
Rosappaulahttp://www.ecosapaixonados.com.br


42. JURAS
Mercília Rodrigues

Juras que me fizeste,
nas noites que se perderam,
colhidas as flores agrestes,
de amores que já se foram !
Entre os braços de luares,
 em noite engalanada,
procuramos os lugares
para as juras guardadas !
Acreditei em juramento,
 em hora de intenso amor ,
esqueci-me de que o tempo
leva consigo o calor !
mercilia.rodrigues @terra.com.br


43. TIENE MIEDO EL CORAZÓN
Katy Dominguez Gomez

Tanta amargura, tanto dolor,
es sabor de sufrimiento,
recordar aquel amor,
que viví en aquel tiempo. 

No puede ser verdad,
lo que mi corazón teme,
no puede ser verdad,
que deje de quererme. 

Es nuestro amor profundo,
tan profundo como el viento,
cuando penetra en el bosque,
y se hunde en el sendero.
 
No tengas miedo corazón,
el no deja de quererte,
nuestras almas están unidas,
con fuego y con juramentos,
con sangre y con llanto,
con dolor y sufrimiento,
con alegría e ilusión,
con una eterna pasión. 


44. UM TERNO JURAMENTO!
Bernardino Matos
 
O inesquecível é o juramento, na realidade,
não importa se dia ou noite, isso realmente,
não é relevante, pois toda a grandiosidade,
dessa jura de amor, na alma se faz presente.
 
Estive nas catacumbas, para de perto sentir,
a coragem dos primeiros cristãos, marcados,
pela fúria dos romanos, tendo para repartir,
a fé e o amor divino, os principais legados.
 
Apesar de sombrios, eram bem acolhedores,
aqueles locais onde os cristão se escondiam,
após longa caminhada, entre os corredores,
cheguei à sala central, onde todos se reuniam.
 
Era, naquele local, que São Paulo, anunciava,
a união dos casais, que passariam a dividir,
suas alegrias e tristezas, e ele os abençoava,
tudo era simples, só existia afeto pra exibir.
 
Nesse ato simples, São Paulo visava somente,
acabar com a promiscuidade, que ali existia,
no centro da sala, ele anunciava simplesmente,
a partir de agora, Josias com Joana viveria.
 
E surgiu, assim, a cerimônia do casamento,
um comunicado feito à toda a comunidade,
onde dois enamorados, faziam o juramento,
de uma longa caminhada, rumo à eternidade.
 
O casamento se realiza naquele exato momento,
da aceitação plena, em que o sim é proferido,
na presença de Deus, que assiste tal juramento,
e naquele clima de fé, o amor sai fortalecido.
 
E naquela promessa que um do outro cuidará,
na alegria e na dor, na pobreza ou prosperidade,
com ou sem aparato, Deus tal união abençoará,
cabe-nos, passo a passo, a conquista da felicidade.
 
Na véspera de Natal de 1.977, lá no Rio de Janeiro,
num cerimonial simples, enlevados de ternura,
fizemos o juramento de um amor verdadeiro,
transparente, refletindo sempre a verdade pura.
 
Vencemos os percalços, encarceramos a solidão,
nossas emoções foram partilhadas intensamente,
cuidando um do outro, o amor foi nossa religião,
na alegria e na dor, o juramento se fez presente.
 
Hoje, de cabelos brancos, com o mesmo apreço,
a confiança mútua continua a mesma, renovada,
minuto a minuto, o calor é aquele do começo,
a força do amor foi o sustento de toda a caminhada.
 
De toda a luta travada, apenas uma convicção,
o importante na vida não é o ter, mas ser feliz,
a todo instante, sob o impulso de cada emoção,
o amor é o que dá sentido à vida, é de Deus o matiz.
Fortaleza, 05 de setembro de 2006.


45. NA NOITE DO NOSSO JURAMENTO
Raquel Caminha Matos (Lindinha)
 
“Para resgatar Raquel, Jacó trabalhou para seu pai Labão
durante 14 longos anos e fez isso com a maior alegria,
 porque a amava muito (Cf. Gên 29:20-30)”.
“O amor de Sansão à Dalila é um exemplo
deste envolvente sentimento (Cf. Jz 16)”.
 
O amor é um sentimento admirável, até o dia
que atinja seu nível imperfeito.
Quando fazemos o juramento na nossa noite de amor,
sempre idealizamos que será para sempre.
Todo aquele envolvimento fortalece esse juramento e nos sentimos
presos, comprometidos até que a morte nos separe.
Assim aconteceu comigo, como já é sabido, nosso amor
foi, amor à primeira vista.
Naquele momento, não precisou palavras,
nossos olhos fizeram a jura de amor eterno.
Nosso amor a cada dia foi crescendo mais e mais,
até chegar a noite em que selamos para sempre.
Nosso juramento foi assim: O nosso amor seria natural, instintivo,
baseado na reciprocidade.
A nossa base é tão sólida que basta um olhar e
já sabemos o que o outro quer dizer.
Nosso amor é como os raios do sol,
o clarão da lua, o brilho das estrelas.
Não quero afirmar que não existam divergências,
mas, elas aparecem e somem em forma de amor.
Quando elas aparecem, nos reunimos,
e nosso Deus está presente nas nossas ações,
nos alimentando de gestos amistosos,
favorecendo ações de auxílio mútuo e nos
levando ao prazer do perdão.
Na maioria das vezes por falta de experiência,
certos juramentos de amor podem tomar rumos
paralelos e nesse caso o amor, o carinho o juramento se evaporam.
O que devemos ter muito cuidado, são com os nossos maiores inimigos:
O egoísmo, a vaidade, a traição, e nesse último item,
é difícil adquiri o perdão.
Fortaleza, 05 de setembro de 2006


46. A noite que nos conhecemos
Ilze Soares

Esquecer a noite que nos conhecemos?
Quando olhos nos olhos...estremecemos.
A pele arrepiou...finalmente o grande amor chegou.
Passeamos à luz da lua,emocionados,
cheios de expectativas e emoções.
Carinhosamente,pela cintura ele me enlaçou,
longo beijo ardente trocamos.
Corações acelerados batendo juntinhos,
olhos brilhando mais que as estrelas...
Momento de pura magia, jamais esquecido.
Nos entregamos de corpo e alma,
tendo o luar por cenário.
Nos amamos loucamente, em perfeita sintonia...
Juramos amor eterno. Juntos para sempre ficaríamos...
Oh, destino cruel!
Você partiu cruzando mares
Fiquei só sentindo o sabor do fel.


47. Juramento de Amor
Faffi

Faz tempo, muito tempo...
mas, parece que foi ontem
Eu e Você...
 Ajoelhados no altar,
padre José nos abençoou...e
 Deus selou a nossa jura de amor
Viver juntos na alegria e na dor,
nos bons e nos maus momentos...
Até que a morte nos separe!
Foram momentos inesquecíveis
que a memória não apagou.
A vida não é um mar de rosas
mas, se a gente quiser
o aroma delas pode permanecer
em nós, durante uma eternidade.
Dia, após dia, entre beijos e abraços,
 renovamos nosso juramento de amor...
Todas as noites peço a Deus
para não deixar que a morte nos separe.
Eu preciso de você, como a abelha precisa do mel
Como o orvalho precisa das folhas, para descansar suas gotículas
Como o poeta precisa de inspiração, para escrever seus versos
Como a flor precisa do sol, para desabrochar
Como a lua precisa do mar, para se espelhar
Como o rio precisa da chuva, para não secar
Nosso amor teve princípio, mas nunca terá fim.
Será assim, eternamente... eterno.
Faffi/Silvia Giovatto..05/09/2006

 
48. AMOR PROIBIDO
Nilton Nallim Ferreira

Como é triste te ver passar
Sem poder gritar ao mundo que te amo
Afagar teus cabelos,
Beijar tua boca,
Abraçar-te fortemente.

É como um vendaval em meu pensamento
Imaginar mil situações
Todas elas impossíveis de realizar.
Ah... querida, como te amo
E não posso pronunciar teu nome.

O tempo passa, eu sei
Muita coisa pode mudar
Mas meu desejo ardente
É me esquecer dos empecilhos,
É poder te amar...

Sem restrições nem medo.
Sem reservas, sem receios
De que o mundo me condene
Por te amar tanto assim
Sem poder me manifestar.
Ibiporã, PR, 6 de setembro de 2006.

www.nallim.qsl.br - www.ibipora.org -
 www.ibci.org - www.pbshow.com


49. Confissão
Milla Pereira
 
Gosto de como você chegou
tão de repente em minha vida.
Foi abrindo seu espaço, devagarinho,
se acomodando sem ressalvas em meu ninho,
me invadindo e sem pedir guarida!
 
Gosto de como, em doses pequeninas,
feito meu dono, tomando conta de tudo,
afastou os meus mais puros sonhos,
os devaneios, e um futuro risonho
foi deixando meu coração mudo!
 
Gosto do jeito como você me olha
feito um lobo solitário em desvario...
Quando me abraça com seu toque forte.
Quando com um beijo muda a minha sorte,
do seu corpo quente, a proteger-me do frio!
 
Gosto de seu olhar percorrendo
o meu corpo todo com sede de amor!
E quando a gente se enrosca em desalinho,
trocando suores em mágica e carinho,
nesta mistura louca de prazer e dor!
 
Gosto de você, assim como é.
Gosto de mim assim como eu sou!
E nesse jogo de amantes enlouquecidos,
sinto arrepiar meu corpo adormecido,
e entregar-me sem questionar onde vou!
Milla Pereira


50. Sem juramento
Lina Rocha

Sem juramento ou sacramento
ligados apenas no pensamento
entrelaçados pelo acaso
o que antes era desatino
agora... seguindo destino
as noites não são juras
são só os nossos momentos
especiais assim como o vento
que sopram em todas direções
levando a inércia da razão
atirando num tufão de emoções
seguindo sem caminho certo
às vezes também em calmarias
suaves brisas do coração...
sem juramento apenas consenso
que este elo é tão intenso
que nada se pode fazer
apenas deixar acontecer
tudo o que tiver que ser
Lina Rocha


51. Simplemente te ame
Betty

Simplemente te ame y me deje amar
Desborde mi alma en tu cuerpo...en tu amor.
Un amor equivocado un amor confuso...
Mi vida te la entregue sin darme cuenta y la tuya tome.
Ahora veo que mis sentimientos
Rasgaron en la nada.
Grite a los cuatro vientos te amo.
Un amor que ya no tiene sentido...
Un amor desperdiciado.Pero un amor encontrado.
Solo se que te amo y te seguiré amando por la eternidad
Besos con toda mi alma
Betty.


52. Amor Multiplicado
Suely Ap.G.Lopes

Nosso amor
Dividiu-se ?

Qual o quê
Multiplicou-se...

Alcançou
Outros corações apaixonados
Por entre as frestas
Das
Janelas
De Nosso
Coração

Arremessou
Olhares
Sintonias

Elos
Perfeitos,
Tão perfeitos
Como o Amor-perfeito
Unindo cores
Amores
Em um só coração...
Suely Ap.G.Lopes


53. Juras que não se esquecem
Isadora

Juras são juras,
se puras ou impuras,
são nossas juras
de um amor eternal...
Já não me importa,
se se fecha a porta,
ou se aberta
a grande emoção...
O meu coração
prometeu te amar...
Tu me prometeste
a vida me dar...
Eu só desejo
que nossos beijos
se façam ternuras
de nossas juras
daquele momento...
Soprava lá fora
um vento tão forte...
Se veio do norte,
ou foi vento sul,
não nos importa:
naquele segundo
parava prá nós
tudo no mundo...
Só nosso murmúrio
falava baixinho,
com todo carinho,
em juras de amor...
Ficaram no peito
guardadas, assim,
as juras de amor,
que fizeste prá mim...
Noite azul
de sonhos tão lindos...
Quando infindos
foram os carinhos
os beijos de amor,
que nos envolveram...
Juras de um sonho
que nunca morreram!


54. Nossas Noites
Lorenzo Yucatán

Nossas noites têm sido o paraíso,
Que sempre busquei e não conseguia.
Elas me deram de volta o que preciso:
Amor, prazer e alegria...

Nossas noites me parecem um sonho,
Verdadeiro presente de Deus,
Quanto mais em seus enlevos me ponho,
Mais você ganha os carinhos meus.

Nossas noites de amor virtual,
Que chega às madrugadas em plena loucura,
Superam com sobras um encontro real,
Fartas em fantasias e paixão pura.

Nossas noites de prazeres telepáticos,
Nos brindam com as delícias do amor,
Com ingredientes psicossomáticos,
De mútua entrega, com muito fervor.

Nossas noites de convictos amantes,
Em que a paixão é um imperativo,
Cultivam um impulso sem variantes
Rumo ao abraço ao vivo e definitivo.
Lorenzo Yucatán
01.02.2003
 

 55. Juras
José Ernesto Ferraresso

Amantes numa noite sob quatro paredes,
Suas mentes escondem os segredos da paixão,
Das ousadias, gemidos, entranhas dos impulsos,
De uma recordação estranha, de sexo, volúpia e união.
  
Agora encontrados e jurados,
Estes dois corpos estão entrelaçados
Demonstram nos momentos de delírios,
Suas juras de amor, seu furor.
     
São corpos que se devoram,
Realizam extremas delícias imaginativas,
São corpos que se afagam, a todo instante
Jurando sempre por um amor constante.
     
Mostra-nos sempre uma ansiedade
Jurando para sempre se amar.
Dizendo a esse amor de verdade,
Que nunca a deixará de saciar.
   
José Ernesto Ferraresso
Serra Negra**SP
07/09/2006


56. Nosso juramento
Cássia Vicente

Me lembro quando
nos entreolhamos pela última vez...

Naquele entreolhar ficou marcado
nosso juramento de amor eterno...

Não foi premeditado, foi espontâneo...

Recordo que só foram olhos nos olhos
palavras não puderam serem ditas...

Naquele momento nosso juramento
foi sacramentado pelo silêncio da dor...

Naquele instante ficou pairando no espaço
nosso amor a espera do tempo...

Anos depois...

Naquelas palavras ditas sem olhos nos olhos
reafirmamos nosso juramento...

Naquela emoção sentida pudemos confirmar
que espaço e tempo são apenas momentos...

Não foi novamente premeditado, foi a saudade
que não resistiu ao tempo e quebrou a distância...

Nosso juramento de amor eterno
espera pela eternidade se preciso for...
Jataí.GO
07.09.06