A NOITE DO NOSSO OLHAR
Ferdinando©
 
No dúbio distante do meu olhar
Razoa a funesta voz dos medos!
Emudece a noite para escutar
O pasmo dilatado dos segredos.
 
As marés cansadas que há no mar,
Vão pranteando dias mais azedos,
E nos trazem saudades a chorar
Do lugar onde moram sonhos ledos!...
 
No luar se desenha uma promessa
Onde a fria esperança já tropeça,
Em gesto, que eu procuro entender...
 
O amor é sentimento que não medra!
No silêncio, cansado como a pedra...
- É leito onde a concórdia vai morrer!
 
Germany 16-02-10