MOLDURA HUMANIDADE

CANSADA HUMANIDADE
Ferdinando©

A exausta humanidade cava o grito
Ante o pecado em dias desonestos
Num silêncio para cá do infinito
Que engana a miséria dos honestos.

Insiste o mito que atravessa a vida
Em promessas propagadas sem raiz,
Na paisagem da bruma escondida
Onde o beijo do sol nunca é feliz.

Te lamentas ao desvairado vento,
Escondes com teu manto o lamento...
Bandeiras de muralhas sem ter voz..

És precipício no declive para o nada
Agigantou-se em ti a louca cavalgada ,
Como a torrente sem leito e sem foz.

Germany 22-10-11

 

BRILHANTE6