despedida1

CIRANDA - HORA DA PARTIDA

POETAS PARTICIPANTES

1 - Mary Jenny

2- José Ernesto Ferraresso

3 -Manuela Neves

4 - Anna Peralva

5 - Iza Mota

6 - Lígia

7 - Yeda A.Pereira

8 - Gislaine Canales

9 -Maria Thereza Neves

10 -Antonio Cícero Silva

11 - Victoria Aristizabal

12 - Helô Abreu

13 - Marcial Salaverry

14- Sérgio D. B.Guedes

15 - Vera Hernandez

16 - Regina Bertoccelli

17 - Célia Lamounier

18 - Paulo Mello

19 - Jorge Linhaça

20 - Efigênia Coutinho

21 - Lilian Russo

22 - Maria Fatima Morais

23 - Mifori

24 - Maria R. Ribeiro

25 - Penhah Castro

26 - Luiz Poeta

27 - Arianne Evans

28 - Marilda Conceição

29 - Neusa Mendonça

30 - Schyrlei Pinheiro

31 - Benedita Azevedo

32 - Faffi

33 - Vírginia

34 - Lúcio Reis

35 - Socorro Lima

36 - Angella Tavares

37 - Tarcísio R. Costa

38 - Mádi

39 - José Ronaldo

40 - Eneisa

41 - Maria Chica

42 - Pilar Casagrande

43 - Fernando R. Costa

44 - Sueli E. Santo

 1 - HORA DA PARTIDA
Mary Jenny

O Comboio parte levando consigo
mágoas que choram em brado!
As lágrimas humedecem ternos lábios
no momento crucial da partida.

Em cada minuto, o apito é mais distante.
Cada vez se cava uma saudade mais funda...
cresce a amargura na alma.

Agora cada apito é mais um grito,
deixando as árvores dobradas espreitando
perplexas na paisagem liberta,
numa indiferença que fere a solidão...

 Distante o teu braço em aceno
deixa-me em estátua extasiada,
pois os teus olhos em adeus
disseram tudo e mais,
que todas as distâncias nesta vida!

 GERMANY 23-08-07

2 - QUEM INVENTOU A PARTIDA
 José Ernesto Ferraresso
 
Acho que não pensou,
Nem mesmo meditou,
Não avaliou o sofrimento,
Mas apenas o momento.
 
Não é fácil de suportar,
Nem mesmo para aceitar,
Quando alguém se vai,
Para nunca mais retornar.
 
Esse é um momento alegre e triste,
Pois a vida quer que vivamos em riste.
Um dia alguém parte para o sucesso,
Outros partem sem regresso.
 
Quando parte um amor,
Sentimos outro tipo de dor.
Quando parte um ente querido,
Esse sentimento é mais dolorido.
 
Não é fácil falar de uma partida,
Mesmo que é parte da vida,
Mas difícil mesmo é aceitar
Que este momento vai chegar.
 
Serra Negra

3 - SAUDADES
Manuela Neves

Saudades
ausência
angustia
inquietação
é uma dor
sempre doendo
do lado do coração.

Saudades de alguém tão querido
familiar, amor, amigo
saudade dessa presença
neste recanto ou lugar.
Saudades duma ternura
ausência desse sentir
Saudades que nos magoam,
e nos fazem existir!

Lisboa - Portugal
jardinsdepoesia.com.sapo.pt

4 - O INVENTOR DA PARTIDA...
Anna Peralva

Quem Inventou a partida
Sabia a hora precisa
para o descanso,
o retorno
para a cura,
num espaço fértil e manso.
Ele em Toda Sua Sabedoria,
Contou horas e dias
que seriam suficientes,
para que aprendizagem
fosse eficaz e nutriente
para novos dias de paz.
Quem Inventou a partida
Sabia que haveriam retornos,
pois numa só vida
a evolução não seria concebida,
também em Sua divina maestria
Dotou a essência de amor,
pois seria mais fácil a caminhada
mesmo que ele sangre em dor,
é muito mais sensível quem amou
e Seu filho, também sangrou...
Quem Inventou a partida
Conhecia a alma da criatura,
pois foi Ele o Autor
da partitura...
Conhecia cada nota da melodia
e precisava de quando em vez,
dar um arranjo novo na harmonia.
Quem Inventou a partida
Sabia o que Fazia,
e entre idas e vindas
nenhuma alma permaneceria vazia...

RJ - 09/05/07

5 - HORA DA PARTIDA
Iza Mota
 
Partes e contigo levas a expectativa,
ânsias e certezas do novo, mesmo que
inesperado, tens a sede da descoberta
do que o mundo te dará em repique.
 
É na hora da partida que os contrastes
 encontram-se e as dúbias sensações
 enfrentam-se, e nesta batalha rasgaste
a alegria e tristeza, dividindo emoções.
 
Chega a hora... E é só nesta hora
No encontro dos olhares, na inevitável
despedida que percebes que chegou a hora
de dá adeus a tudo que hoje é palpável
 
Na face corre a lágrima do adeus
nas mãos o aceno para liberdade
Adeus ao que não te convenceu
Liberdade de escolha à felicidade.
 
É nesta hora que o coração dispara
hora de reescrever parte da tua historia
hora do adeus ao que foi começo, meio e agora
chegou ao fim esta parte da tua história
 
 Recife-PE-Brasil

TRISTE, SEMPRE TRISTE É A DESPEDIDA
6 - Lígia

Não foi o acaso que te fez partir
nem a vontade de daqui te ires
já que o coração em promessas tantas
dizia ser aqui o teu melhor destino.
Mas foi assim... afinal, fazer o quê?...
(poucos fazem suas próprias escolhas!)
Longevos tempos, espaços infinitos
e tudo mais que faz todos os mistérios
serem recônditos segredos resguardados
distribuíram as pedras no caminho.
Nem o amor (ah!...quanto pode ser ele a cruz!)
e quantas vezes guarita, fortaleza!...)
foi ousado, foi valente, foi guerreiro
para deter-te ao lado meu, prender-te cá,
fazer-te meu para sempre nesta vida
trocar a sina, impedindo a despedida. 
 
(Pelotas, RS, BR)
25.8.07/18h

7 - A ULTIMA DAS MADRUGADAS
Yeda A.Pereira

A madrugada era fria
quando o gaudério partiu...
Eu não estava em seus braços
como em tantas outras madrugadas...
Não sei bem porque razão
o Patrão Velho lá de cima
surpreendeu-me deste jeito,
levando meu companheiro
sem despedida, sem nada!
Quero mesmo acreditar que foi só por bem-querer...
Que foi até um acordo com aquele velho vaqueano
que me falava da morte com tanta serenidade,
como se pronto estivesse para qualquer emboscada
que o destino preparasse.
O aprendizado da vida
fez dele uma fortaleza diante do inesperado.
Assim...
A última madrugada deve ter sido tranquila...
E lá, no pastoreio do céu,
para novas camperiadas,
por certo encontrou guarida!

8 - Glosando A A de Assis
Gislaine Canales

 QUANTO ADEUS!
MOTE:

Quanto adeus, meu Deus, ouvimos
todo o tempo, vida afora...
- Em cada um deles sentimos
algo de nós indo embora!

Quanto adeus, meu Deus, ouvimos
quantas lágrimas rolando,
por esse caminho, vimos, 
os corações se inundando...

Cada adeus traz nostalgia,
todo o tempo, vida afora...
nos rouba toda a alegria,
por isso nossa alma chora.

A nós mesmos, agredimos
numa tristeza sem par...
- Em cada um deles sentimos
a solidão, a chegar!

Parece até que a emoção
foge de nós sem demora,
registrando, o coração,
algo de nós indo embora!

9 - AGONIZANTE ADEUS
Maria Thereza Neves

beba a última gota do meu amor
vire a taça das lágrimas doidas
a marca do último beijo
a despedir no céu da tua boca
a diluir ainda aromas na tua pele

rasgue todas as palavras
sem deixar lembranças
emendas , sinais da costura
nos pontos alinhavados no tempo
agora esgarçados ao vento

apague todos os retratos
imagens agora destroçadas
lance todos ao mar
a deriva dos sentidos sentido
afogue na saudade vermelha

arranque logo o tapete das ilusões
ponha fim nesta agonia, me deixe partir,
mesmo que caminhe solitária
quero simplesmente voltar a sorrir
e pensar que valeu a pena te amar um dia...

26/12/06

10 - SINTO SAUDADES
Antonio Cícero da Silva
 
Sinto saudades
dos nossos bons momentos
de quando nos encontrávamos
às escondidas, entre as paredes.
Vivíamos em silencio
o nosso amor era encoberto
mas de jeito sorrateiro,
estávamos sempre em abraços.
Os nossos beijos eram demorados,
fantásticos, os mais gostosos...
e sempre em fantasia
a vida para nós muito sorria.
E muitos embriagados de amor
estávamos sempre em delírios
mas agora você viajou
e sozinho me deixou.
E com isso, muito eu sofro
sem a sua presença comigo
mas os nossos corações estão ligados,
com laços de amor intocável.
 
http://antoniocicerodasilva.blog.terra.com.br

11 - UN VIAJE SIN FIN
©VICTORIA LUCIA ARISTIZABAL©

No es difícil decir adiós
cuando no hay quién te despida
que feliz es esta partida
sin apegos ni retensión
 
Decir adiós a la existencia
cuando se ha tenido conciencia
y una vida vivida con emoción
 es partida muy natural
 que me llena de ilusión
 
Le digo adiós a la casa, a los afectos
a todo lo que vivi correcto
a lo que me pareció profundo
le digo adiós a este mundo
que lo encontré para mi evolución
perfecto
 
Hasta pronto a mi familia
a los lazos indisolubles en el amor
le digo adiós a la enfermedad y al dolor
que bueno que se desprenden
que importante lo que se aprende
en esta divina proposición
 
Que suerte tiene la muerte
cuando hay un vivir justo
cuando estamos en gracia
cuando Dios ha sido el amigo
cuando he compartido contigo
cuando se corrigió la falacia y
cuando se tubo un espíritu fuerte
 
©VICTORIA LUCIA ARISTIZABAL©
BOGOTA COLOMBIA
AGOSTO 26 DE 2007


12 - ESTAÇÃO VAZIA
Helô Abreu
 
Parada na estação vi-te partir
Na garganta um grito sufocado
E lá se ia o trem, parecendo sorrir
com teu vai que vem ,vai que vem
É mais que muito o tempo
Que de minutos pouco ‘inda é
O ensejo de te ter dito… até
Um rápido gesto, sereno,
Que foi um prenúncio ameno
Do que se segue e sinto.
O gesto do dito «até»,
Sinto-o agora como é!
Um rápido pulso emotivo
Um sentir que já é vivo
O que noutro verbo se diz
Algo, não sei quantos, feliz,
E eu não sei – ou lembro – dizer
Mesmo se; sentindo e querendo,
Vivencío aquilo que vou dizendo.
Estou sozinha
Hoje só te consigo sentir
Numa velha estação de trem
Tão irreal
Agora, já só sinto
O cantarolar dormecente
Que ele tem
Eu acredito...
Eu acredito na tua força
Que separa amantes
Mas também os devolve
Estou sozinha
Tão irreal...
Um morreu..
Outro pegou o trem
Tão sem verdade
Alguém se foi embora
Não há trem na minha estação...

13 - O FIM DO QUE NÃO HOUVE
Marcial Salaverry
 
Assim termina o que não deveria ter começado...
Um amor mal aproveitado,
um amor mal vivido,
que sequer deveria ter existido...
Tantas incompreensões,
mataram todas as emoções...
Um amor, para ser amor,
tem que ter compreensão, diálogo, harmonia,
não pode ser apenas a emoção de um dia...
Aquela paixão fugaz,
que queima a pele, e não deixa paz...
Assim termina o que não deveria ter começado...
Deixa o travo amargo de algo perdido no passado...
Apenas um adeus magoado,
não mais o carinho apaixonado...
Apenas fica essa triste dor,
marcando o fim do amor...
 
14 - OLHOS TERNOS DA DESPEDIDA
Sérgio Diniz Barros Guedes

As horas vazaram,
chegam os minutos
do abismo,
e a despedida dos segundos,
num beijo morno,
terno e molhado
pelas lágrimas
que em nome do amor,
contorcem-se em dor,
no amargo desespero
da saudade do adeus.

http://br.geocities.com/sdbguedes

15 - A HORA DA DESPEDIDA
Vera Hernandez

Não quero me despedir!
Quero ficar!
Não sei dizer adeus!
Quero ao seu lado
permanecer e nunca partir.
Quero ficar junto
ao amor da minha vida.
Não sei dizer ADEUS!
A você não sei...
Só sei dizer
te amo,
cada dia com
mais intensidade!
Nunca te direi adeus,
estarei sempre cercando
você, amor meu!
Irei sempre
ao encontro
dessas suas mãos amadas.
Esse ADEUS!
Loucura de mim!

Porto Alegre RS
Brasil
26.08.07
20.30 hrs

16 - DESPEDIDA
Regina Bertoccelli

Estamos partindo...
Separando nossos corpos,
mudando o rumo de nossas vidas,
distanciando nossas almas,
mas sempre ligadas elas estarão
Podemos camuflar o momento,
mas não podemos alterar
a essência do sentimento.


17 - AO  PARTIR
Célia Lamounier de Araújo
(Publicado no livro Sirgas e Organsins)

Eu te agradeço a felicidade
Que por algum tempo
Inundou-me o rosto
De uma luz nova
De uma nova aurora.

Eu te agradeço os momentos longos
Em que suavemente e calmo
Me escutavas rindo
Pleno de compreensão
E de abandono.

Eu te agradeço aquelas frases ternas
E os sentimentos loucos
Que em mim nasceram
Por algum tempo
Fazendo-me feliz.

Eu te agradeço tudo
Foi um sonho lindo!

http://celialamounier.portalcen.org

18 - QUEM INVENTOU A PARTIDA...
Paulo Mello

Por certo não sabia da dor.
E nunca sofreu por amor !
É um desses que passam
desapercebidos do horror,
de uma separação.
Foi alguém que não plantou
nem sequer semeou.
Não permitiu germinar vida
nem sentimento.
Fugiu, sumiu, sem compromisso.
Alguém que vive solitário
no vazio de si próprio.
Ah ! Se soubesse.
O que é amar.
Não teria inventado.
a partida.
 
01.06.07

19 - O ADEUS SILENCIOSO
Jorge Linhaça

O adeus silencioso
brada-me dentro do peito,
qual corpo canceroso
que ao amor faz desfeito

Eu pranteio desgostoso
por saber que não há jeito...
O adeus seilencioso
brada-me dentro do peito

O antes dadivoso,
doce qual um confeito,
hoje é fel amargoso
a ressoar no meu peito
o adeus silencioso

20 - N O S T A L G I A
Efigênia Coutinho
 
Sentes um certo neblinamento,
Será a Saudade que mora dentro
Das recordações de todo este
evento, quando você Partiu!...
 
Voltou o antigo sentimento mudo
De lágrimas d'encanto e beijos
Com acres sabores, que se
Transformam em aromas de flores!
 
Deus existe no esplendor dum sonho
Só ele escuta o soluçar do coração
Ah! estou desafogando em rios...
Banhando os sonhos de poesias....
 
Foi com a Aurora que tu retornas
Das essências da Natureza e beleza
E tudo em mim ressuscitou, o Amor
Repurificastes numa Paz Infinda!!!
 
Balneário Camboriú
2007

21 - ROMPIMENTO
Lilian Russo

As leis da anatomia
Estão rompidas agora
Não cabem neste dia
Acabaram-se nesta hora.
 
Cabeça, tronco e membros
Tornaram-se meros escombros
Voaram pelos ares,
Terras e mares.

Não existe mais um não
Estrutura então rompida
Pois esta minha vida

Provou à própria razão
Que na volta e na ida
Sou apenas coração.

Coração a existir e a bater
Pulsando por inteiro
Quando vai ter ver ou não
Batendo por ti, coração.

Nada como nascer de novo!!! Por isso é que se morre...

São Paulo/SP


22 - NA HORA DA PARTIDA ...
Maria de Fatima Delfina de Moraes

Não chores por mim meu bem !
 
Eleve o seu pensamento,
componha uma música nova,
ainda que pequenina estrofe de uma trova.
 
Chorar ? Não vale a pena . . .
Não cultue a casca do que chamaram corpo
pois lá, já não estarei.
 
Deverei estar no céu, a declamar poemas
ou a escrever estrofes de lindos versos de amor.
 
RJ, 25/08/2007

23 - ADEUS NA HORA DA PARTIDA
Mifori

Na hora da partida...
Sim!... Era o adeus
Definitivo e irrevogável!
Um sensato adeus.
Encorajador,
Positivo...
Se não fosse a minha dor!

Deu-me um beijo no rosto

E sussurrou:
- “vá, divirta-se nesta noite;
não desperdice seu tempo
em um canto se lamentando,
porque eu estarei dançando
com quem quer que seja;
antes de a madrugada chegar
já estarei longe deste lugar.”

24 - AS DIVERSAS PARTIDAS...
Ciranda: Hora da partida?
Maria Regina Moura Ribeiro

Odeio partidas e sofri muito com elas desde que nasci.
Precisei partir tantas vezes 
que parti meu coração.
Aos 2 anos, foi a partida inesperada
da cidade que nasci : Livramento.
Aos 4 anos, aconteceu a triste partida
da cidade em que nasceu minha irmã: Caxias do Sul.
E onde nossa mãe nos deixou.
Aos 5 anos, foi a vez de partir
da cidade em que conheci carinho: Porto Alegre.
Aos 6 anos, da cidade em que conheci vicissitudes,
mas ganhei uma mãe: Pedreiras.
Aos 8 anos, da pequena e aconchegante cidade de São Luiz.
Aos 10 anos, foi de onde nasceu meu sétimo irmão: Anápolis .
Aos 12 anos partimos nossos corações, 
deixando amigos e brinquedos em Fortaleza.
Aos 14 anos parti também minha alma,
saindo de Porto Alegre
e deixando lá meu coração apaixonado.
Aos 15 anos parti de Campinas,
deixando amigos de verdade .
E aí, Deus atendeu meus pedidos de nunca mais partir...
até hoje moro em São Paulo,
aguardando o dia da partida para Deus encontrar.

São Paulo, 15 de junho de 2007
www.corujando.com.br

25 - MINHA VIDA SEM VOCÊ
by Penhah Castro

Se eu tivesse que viver minha vida sem você
sentiria como se fosse um ser
perdido neste grande Universo...
Gritando sem ser ouvida...
Chorando pelos sonhos perdidos ...
Eu me sentiria como um passarinho
treinado a voar longe do ninho
valorizando a liberdade
mas triste por viver sozinho....

Eu sempre procurei por você
no meu coração, nos jardins da vida...
Encontrei um ser maravilha
que era tão semelhante a mim....
Encontrei-o por entre lágrimas
que rolavam cheias de alegria
ou quando caiam minhas fantasias....
Encontrei-o no meu sorriso
quando você veio correndo
me abraçando, me beijando,
sem reservas, sem pudor
gritando o seu amor....
E, então eu percebi
que não sei viver sem você
Com você no meu coração
Sou muito forte....Sou um leão!

26 - PARTINDO-ME DE TI
Luiz Poeta
- Luiz Gilberto de Barros -

Tu partes, meu amor... e me repartes;
Com arte, fatias meu coração...
E o meu amor partido... em duas partes,
Se parte mais ainda...em solidão.
 
Tu levas, aonde vais, meu riso triste;
No espelho onde te busco, a transparência
Reflete a solidão que sempre insiste
Em recompor a dor da tua ausência.
 
Procuro um sentimento entre tantos
Que possam transformar meus desencantos
Em doce fantasia...colorida
 
A angústia que me habita, entretanto
Desfaz a maquiagem com meu pranto
E eu canto...sem querer...tua partida.

Às 19 h e 4 min do dia 27 de agosto de 2007

27 - MINHA DESPEDIDA
Arianne Evans

Partir... Sim, estou partindo
partida pela metade,
pois minh' alma fica contigo,
assim, como fosse meu castigo,
sofrer sem qualquer piedade...

Quando foi que eu te perdi?
Quando foi que a flor morreu?
Quando foi que me deixaste?
Pois se ao meu lado ficaste,
teu grande amor feneceu...

Não serei tua prisão...
Vou - me embora, estás liberto...
Usa tua liberdade,
vai buscar tuas verdades,
encontrar tuas trilhas certas...

Não me olhes com piedade!
Já é demais minha dor,
ignore minhas lágrimas,
não sou motivo de lástima,
se morro aos poucos, de amor!

Amei - te e amar - te - ei...
Isso jamais mudará!
És o passado, o presente,
serás sempre, eternamente,
a crença que ficará...

Vou buscar o esquecimento
desta tristeza indizível
que me causa esta partida...
Por que toda despedida
traz esta dor incabível?

Vou - me, agora, que o tormento
só aumenta, a cada instante...
Já não posso mais olhar - te
sem beijar - te e abraçar - te...
Já torturei - me o bastante!

Ctba/27/08/2007

28 - PARTIDA
Marilda Conceição
 
Beijaste-me o rosto,
acenaste como se fosse voltar.
Era de costume aquele carinho
quando saías para trabalhar.
 
E eu tão ingênua fui!
Não percebi tua partida,
não percebi que não tinha volta,
que aquele aceno era uma despedida.
 
Esperei horas,
esperei dias, noites.
Dias vazios, noites de solidão.
 
Dor rasgando-me a alma.
Lágrimas de saudade
atormentando o coração.
Esperei anos, esperei em vão!

29 - O Último Olhar
(Neusa Mendonça)

Ah! Esse olhar marcará para sempre
minha vida...
como te olhei e como você olhou
para mim, como se fosse
um adeus, para sempre...

Olhos cheios de lágrimas, perdidos no meu olhar:
até parecia ser o último olhar...e foi!
Pois foi neste olhar, cheio de emoção, que
nos despedimos

Restando somente a dor e as saudades
Dos teus olhos verdes e a amargura de saber
que aquele olhar era um olhar de despedida...
por isso estava tão cheio de emoção e lágrimas
que me diziam adeus deste mundo,
em direção ao mundo espiritual, junto a Deus...

Com certeza você, mano querido,
Continua a nos olhar...
Seu olhar ficará guardado, não somente em meu
coração, mas em minha alma, alma cansada,
alma abatida, alma sofrida
Mas uma alma que sonha te reencontrar em outro
plano e dizer-te como és amado por mim!

Poderei, então, olhar novamente para
os seus olhos verdes
e derramar lágrimas,
mas desta vez serão lágrimas de
Felicidade...

Marília, 19/02/2007

30 - ÚLTIMO ABRAÇO
Schyrlei Pinheiro

Não doído ou maculados,
entre tantos que marcam as curtas despedidas,
sem saber que será o último,
antes da partida, sem adeus.
 Risos, escondendo lágrimas,
que orvalharam a saudade
que o tempo, sem aviso,
eterniza na lembrança,
adormecendo com a esperança
 um novo reencontro.
Passam horas, dias meses...
e logo chega o tempo,
tão perto do concretizado!
Último abraço,
 com o encanto do primeiro,
desconhecendo o derradeiro,
que não existe nos instantes
do tempo, em tempo da vida,
 que, unidos em um eterno abraço,
sempre viveremos.

31 - A PARTIDA
Benedita Azevedo

Tantos anos de triste e agudo sofrimento;
inerte sobre o leito ao frio abandonado,
teu corpo esbelto e forte ali foi definhado,
e consumido em dor quase no isolamento.

Teu olhar me acompanha a me ver trabalhando,
sem poder, entretanto o seu grande talento,
verbalizar comigo e dar seu elemento.
Interagia assim a mim fortalecendo.

Do teu abraço inerte e aquele teu carinho,
sentia a falta ali, no leito, o nosso ninho,
somente teu olhar a mim alimentava.

E a lágrima sentida daqueles teus olhos,
partem-me o coração em milhões de desfolhos,
quando em definitivo a morte a te levava.

28 / 08 / 2007

32 - TREMOR
Faffi
 
Não sei se era frio, ou arrepio de amor,
só sei que tremia muito quando você se foi...
Da soleira da porta eu acenava para te dizer adeus,
mas você nem notou...Não olhou para trás...
 seguiu em frente, deixando o meu coração morrendo de amor.
Quando sua silhueta sumiu no horizonte, dei meia volta...
virei as costas para o passado... e
 pude chorar, como ninguém jamais chorou!
Não posso caminhar lado a lado com esse passado,
tenho que levantar a cabeça e procurar novos horizontes...
Não posso temer a vida, nem tampouco viver desse amor.
Quando o amor acaba é assim que tem de ser,
caminhar para lados diferentes, cada um
procurando o que for melhor para sobreviver.
Uma união deixa marcas....que
involuntariamente transforma nossos sonhos em quimeras...e
a gente sofre, como só gente grande pode sofrer...
Tremendo como uma folha balançada pela brisa leve,
fui me consolar com o meu melhor amigo,
que absorve minhas lágrimas e fica mudo o tempo inteiro,
meu travesseiro...acabou, disse a ele que se ajeitou direitinho,
 dando forma a minha cabeça para que ela não explodisse de tanta dor.
 
faffi / Silvia Giovatto

33 - NA TUA PARTIDA
Virgínia Maria

Chorou o amor valente...
Chorou a sensível vida...
na dor destas saudades
da tua inesperada partida.

Acaricio o teu corpo rijo,
inerte e já quase sem cor,
reabriste a minha ferida,
que pemanecia indolor.

Busco em tua amada alma,
as trilhas dos meus labirintos,
não desejo nenhuma lúcidez,
se o teu coração já não sinto!.

Queria poder atrasar o tempo
um vilão em alguns momentos,
olhar-te-ia só mais uma vez,
paralizando todos sentimentos.

Escreverei nestas linhas infintas...
e que as letras alcancem teu céu,
dançando como nuvens bailarinas,
numa dança mágica dos sete véus...

São Paulo - 28/08/2007

34 - HORA DA PARTIDA
Lúcio Reis

Lá onde o mundo termina ou acaba
Vejo pela última vez a nau que te conduz
E como o apagar de uma luz
Sinto que meu viver se vinda
 
Penso em correr para depois daquela curva
E ali poder te rever e de novamente te ter
Mas as lágrimas da tristeza deixa-me a visão turva
Desnorteando-me e fico perdido em meu ser
 
Relembro, voltando no tempo a hora de tua partida
A razão não se discutiu e quem sabe foi real?
Sabemos que foi forte e causou a tua ida
Mas o meu amor, te garanto é leal
 
E o belo da hora da partida, é sem duvida a hora da volta
E quando surgires daquela curva onde o mundo principia
Saberei que compreendestes do meu grande amor a revolta
De jamais aceitar de teu amor por mim a indeferença e a ausencia.

Belém do Pará
Em 28/08/07

35- TRISTE ADEUS !
Socorro Lima Dantas

Estava aqui, a tua espera,
coração batendo forte,
quando já me encontrava sem esperanças...
surgiste de repente !
Esperanças fluíram... logo esvaíram !
Vieste confessar a tua partida...
 
Naquele momento,
minha alma caiu em prantos !
Meus olhos encheram-se de lágrimas...
perdi meu chão !
Fiquei sem palavras...
esqueci o meu encanto !
Permaneci parada...
em silêncio...
fitando apenas a minha alma !
Não queria admitir aquela partida...
nem a desilusão prestes a ancorar.
 
Teu acinte... o meu lamento...
que importância teria, naquele momento,

 estes sentimentos ?
Estavas partindo...
eu nada mais poderia fazer !...
Virei o rosto,
desviando o meu olhar do teu,
para não ouvir a palavra adeus.
 
Resolvi acalmar a minha dor,
curtir o meu pranto,
ouvindo o que restou de nós dois :
A nossa música !
A prece do nosso amor.
 
Aquela composição musical,
acalmou a minha alma...
você partiu ?!...
Meu olhar perdeu-se no horizonte.
Sobrevieram as lembranças...
nossa paixão tão ardente !
Você já não mais estava presente.
 
Pensativa fiquei ...
deveria ter escutado tuas palavras,
o que desejavas dizer-me ?!
Resolvi te escutar...
mas já era tarde !
Já havias partido...
o adeus foi inevitável !
Que triste despedida,
perdi você !
Ah, que triste adeus !

Recife/PE/Brasil

36 - ME CHAMO DOR...
Angella Tavares

Quem inventou a
partida ...
desconhecia a paixão
e o amor
não sabia da dor,
do que sofre um
coração dilacerado pela
separação
muitas vezes,
inesperada
daquele
que partiu
deixou o outro
sem sequer
dizer:
Adeus!!!


Quem inventou
a partida
também nunca
sofreu
por amor...!!

Pobre ser que
morreu
sem jamais
ter vivido
o
que mais temos
de sublime:
O Amor !!

O peito inundado
por
sentimentos
que não se explica
mas
que no agora é também
chamado saudade.

Ou foi ele
ser mal julgado
esse
inventor da partida
o que mais
sofreu
a dor do amor...!!

Niterói - RJ
17-07-07


37 - HORA DA PARTIDA
Tarcísio R. Costa

Foi um difícil momento,
Senti entristecida a minha alma,
ao presenciar a tua partida...

Sempre alimentei o amor,
Faltou-me calma e equilíbrio,
Foi uma profunda dor,
Viver essa desdita...

Partiste na hora
em que eu atingia o zênite do amor...
Para sair dessa encruzilhada,
Só as graças do Senhor...

Quando voltares
Dos meus olhos, sumirão a tristeza,
Acredito no teu amor. Essa certeza
me levará a agradecer aos altares...

38 - QUEM INVENTOU A PARTIDA
@liosh@**/CIG@N@**

Tudo que sobe, desce?
Tudo que nasce, morre?
Tudo que vai, volta?
E se não volta,
cai na reviravolta?
E quem parte, retorna?
Afasta-se, rompe-se, em confinamento
Não deixa rastros, nem pegadas?
Não deixa pistas nem abre feridas?
Quem arquitetou, ou inventou
Essa tal malfadada partida
Deveria ter deixado em legado
Um antídoto, polivalente
Que extirpasse essa serpente
Que à todos causa mal
Que reduz a vendaval
Corações despedaçados
Por motivos diferentes
Mas que assola toda gente
No vazio da despedida
Do adeus, ou até logo
Do talvez ou nunca mais

@liosh@**/CIG@N@**
Bragança Paulista
27/05/07
20:30h


39 - DOCE DESPEDIDA
JRonaldo-JR
 
Ver doçura em uma despedida?
Só se for em apenas uma partida
Transformando um pequeno desencaixe
Para um total e eterno "enlaçe"
 
Ah! mundo de muitas idas e vindas
Mundo de vindas e idas
Nesse eterno vai e vem
Quero so voce...meu bem
 
E, muito mais além
Daqui? muito mais aquém
Em outra "compreensão"
Que necessita de outra "visão"
 
Não existe despedida
Quando a "união" é mantida
É apenas uma passagem
No caminho da eternidade.
 
Quantas vidas vividas
Algumas resolvidas
Partidas e vindas são "sintonias"
Dessa grande "harmonia"

40 - A PARTIDA
ENEISA

Hoje me despeço da vida ,sem lamentos.
Espero a morte: vou com ela,livremente.
Não farei como outras vezes, certamente.
Quando ela vinha me buscar e eu pedia,
desesperadamente para ficar
Porque tinha seu amor.seu carinho.
Mesmo muito carente,
 na sua ausência eu o queria.
Hoje nada tenho, só essa angústia gritante...
Saudades ..dos seus lábios ,do seu toque..
Só ela , a morte , está comigo, atenta...
Espera que eu me despeça de você;
uma dolorosa despedida ...sem volta,
sozinha...
Nem na despedida você está presente.
Sempre ausente em meu amor,
em meus carinhos,.
como sempre esteve, cruelmente,
Você ficará e eu irei Agora não terei mais
 que sofrer por você.
Irei com ela. feliz, sem sofrer,calmamente...
Ela me diz...
Vamos ,seu tempo acabou e seu amor também.
Assim parto desta vida,
sem nem lhe olhar pela última vez.
Só lhe dizendo ..adeus meu amor....

eneisa@terra.com.br

41 - HORA DA PARTIDA
 Maria Chica

Quem já não chorou
Com a hora DA partida?...
Que já não se emocionou
Quando de uma despedida?!..
 
Quem não sofreu
Por ver partir alguém
Eu já sofri muito
Com a partida DA minha mãe!
 
Quem nunca se despediu de alguém
Que partiu para longe
De barco, combóio ou avião
Eu já parti também!
 
Já chorei lágrimas icontáveis
Ao despedir-me de alguém...
Lágrimas inconsoláveis
Ao despedir-me do meu bem!
 
Chicailheu
Angra do Heroísmo
Açores- Portugal

42 - HORA DA PARTIDA
Pilar Casagrande

 Todos os caminhos são longos,
Depois do adeus.
Na partida, por toda a parte,
Tudo se desfolha em adeus,
Em lenços, em farrapos para sacudir,
Em despedidas agoniadas,
Os gestos e os acenos aflitos da separação.
As rosas se despetalam e ficam adejando
Um instante na ciranda do vento...
O cair das folhas é o adeus do outono.
Uma nuvem,
A última a se inflamar de púrpura
E rosicler é o adeus da tarde.
E tudo o que oscila,
Para quem vai sozinho
Toma a feição de adeus.

ww.clirc.com.br
 

43- DIZER “ADEUS”
Fernando Reis Costa

Dizer “Adeus”…na hora da partida
Quando alguém que se ama vai embora
É dor no coração demais sentida
É lágrima escondida de quem chora!

Dizer “Adeus”… é sentir em nossa vida
Que a saudade vai ficar a vida fora!
É um renegar de todo a despedida;
É desejar que alguém volte, sem demora!

Que o “Adeus”… seja só e simplesmente
Um “até já, até sempre, meu amor”!
P’ra que a saudade não mate lentamente…

Volta depressa, amor, vem brevemente!
Não faças mais sofrer e causar dor
Que nosso coração tal não consente

www.ventosquepassam.com.br
Coimbra, 30.08.2007

44 - DESPEDIDA
Sueli do Espírito Santo
 
Em um adeus se despedindo
vi meu grande amor partindo
deixando-me... meio perdida
sem a doçura daquela paixão
andando como sem um chão
com a minha alma combalida
doída, sem saber para onde ir
nem o que esperar do porvir
 amando eu sigo caminhando
no tempo você se afastando
desde aquela triste despedida
 
http://www.sue2001.recantodasletras.com.br


 

LIVROVISITAS