NOSTALGIA2

CIRANDA RECOLHO-ME

POETAS PARTICIPANTES

1 - FERDINANDO

2 - LARA CARDOSO

3 - LÍGIA ANTUNES LEIVAS

4 - ELIANA BRAGA

5 - CÉLIA JARDIM

6 - ENEISA

7 - MARY JENNY

8 - MARIA THEREZA NEVES

9 - MARICI BROOS

10 - REGINA BERTOCCELLI

11 - ANNA PERALVA

12 - HELÔ ABREU

13 - BETTY

14 - ARIANE EVANS

15 - RAQUEL LUISA TEPPICH

16 - PATTY MONTENEGRO

17 - GERSON F. FILHO

18 - JOSÉ RONALDO

19 - JOAQUIM MARQUES

20 - NANY SCHNEIDER

21 - TEKA NASCIMENTO

22 - AUGUSTA SCHIMIDT

23 - CÁSSIA VICENTE

24 - NEIDE HANF

25 - OLHOSDE£IN¢E

26 - ILZE SOARES

27 - GISLAINE CANALES

28 - VICTORIA ARISTIZABAL

29 - BEATRIZ KAPPKE

30 - PRISCILA L. COELHO

31 - SÉRGIO B. GUEDES

 

1 - RECOLHO-ME
© Ferdinando
 
Emudeço no entardecer pesado das horas
onde a vida se desnuda estática nas eras
e o nada é o gargalhar dos tempos a esmolar
carinho em alicerces débeis... fervente desfaleço
por dentro, na órbita obscura e plangente...
 
Penso na velada dor que toma os meus sentidos
no baixar da noite ampliando o rubro dos meus dias
em fértil suspiro e nesse eco cerrado, em
nevoeiro denso molhando, a saudade de outrora
será sempre a incerteza neste amanhecer introvertido
 
Como suspenso, vagueio na manhã de sempre
na sagacidade, procurando a linha recta para
o mundo exterior que comutou em tempestades
de incertezas, nas manhãs plantadas na fantasia
e ancoradas no porto fictício da minha existência,
onde grita a sombra ilusória que me enlutou a alma!
 
Germany 21.03.07


2 - BUSCO
Lara Cardoso
 
Ouço o silêncio de minha janela
que por todo o canto agita,
tentando fazer-me sentinela
deste amor, que em mim grita
 
Açoita feito tempestade
maltratando meu anoitecer
pois, me faz ser só a metade
de uma outra parte,
 que não posso esquecer...
 
Passa a noite e vem o dia
que se embala no vento
e eu aqui, com o corpo sedento
e, a alma vadia
buscando, na lembrança,
nosso melhor momento...

3 - NÃO ME RECOLHO
Lígia Antunes
 
Fujo das injúrias que a vida apronta,
vago solitária entre trágicos tropeços;
piso as pedras no caminho que me afronta
mas sigo corajosa, refaço esses começos.
 
Sei... atrás já não há mais nada.
Mas que futuro me espera lá na frente?
Sou caminheiro, enfrento a jornada,
vasculho em tudo... por que estás ausente?
 
Não esmoreço... persigo a cavalgada.
Não temo a enxurrada, os temporais.
Todos os atos ensejam o recomeço...
Não me recolho: ' te peço muito mais!'
 
Brasil, RS, Pelotas

4 - RECOLHENDO
Eliana Braga /G@

Em quietude de corpo e alma, meia volta dou no tempo
Ouço ... leio.... acato teu conselho, e recolho-me!
Viajo aos recônditos mais profundos do meu ser
Vou montando o quebra-cabeças do meu viver
 
Memória infalível, nada lhe escapou,
Lembranças tão antigas vêm à tona à madrugada.
Respiros e suspiros de um tempo que passou
Legado de uma vida pelos anos sufocada!
 
Recolho aos poucos algumas quimeras perdidas
Como se pudessem agora serem revividas
Sufoco teimosas lágrimas que brotam insitentes,
Talvez antigas, mas ainda muito quentes!
 
Recolhendo à madrugada, amanheci com resquícios
Das verdades guardadas e tristezas sentidas.
Já é hora do retorno à realidade da vida!
Serenidade e quietude cuidarão das feridas!
 
Gaivot@
25/03/07

5 - REFUGIO-ME
Célia Jardim
 
Chega junto a cada entardecer uma tristeza
carregando o padecer de mais um dia
dores que sangram em feridas
lágrimas que não podem ser contidas
Minha solidão se veste de noite
tentando esconder o meu olhar
que foge de todas as janelas
para não ver a vida passar
A saudade transborda
no meu peito feito lança
sinto-me meio morta
mutilando cada lembrança
Deito meu corpo numa cama fria
por algumas horas, a morte vem me visitar
esqueço o que foi um dia
este resto de amor
Assim ressuscito a cada dia
fugindo de mim cada noite
neste vazio que fica
refugio toda minha dor

6 - BUSCA INUTIL
ENEISA

Busco...
onde estará você?
Não o vejo ...não o ouço...
Não sinto seu calor.
Partiu sem me dizer ADEUS.
Continuo a busca incessante...
Na ânsia de que um dia consiga me ouvir.
 Ouvir meu grito de dor ...de saudades...de amarguras.
De um grande amor que você levou.
Deixou meu coração vazio...frio...intocável.
Deixou tristeza, deixou um amor sofrido.
Fechou a porta deste pobre coração partido,
Só a você ele clama desesperadamente.
 Nem sequer ele é ouvido...a distância é grande...
 Mesmo assim, o grito é tão forte e cheio de saudades,
 Que tenho a esperança de que ele se faça ouvir.
  Por favor, meu amor, responda a esta chama viva...
Responda, atenda ao meu grito de dor.
Venha...volte...traga a luz com você...
Para que meu coração possa voltar a ser feliz...
Feliz só com você...

7 - ENTRISTEÇO-ME
Mary Jenny
 
Entristeço-me no falecer dos dias
que me trazem horas pesadas de solidão
saudades das horas ficadas no outorga...
no canteiro onde fica o íngreme passado
que me assusta e me deixa desfalecida.
 
Vivo suspensa no abrigo da saudade,
que me alenta como o cantar dos riachos
na voragem dos ventos que me falam de ti
envolto em primaveras que me gritam...
distâncias que ficaram em memórias.
 
Entristeço-me no vago da tua ausência
nas noites de vigília, no vazio do meu quarto
como se fosse apenas sonho, visão de nadas...
mas com a certeza gritante, que votarás um dia
ao amanhecer, como ledo presente dos deuses.
 
Alemanha 26.03.07

8 - ANTES DA ÚLTIMA AGONIA ...
Maria Thereza Neves
 
antes que a ternura se desfaça
antes da última agonia
antes do muro, antes da terra, do universo
toma-me, suga meu sangue, meus sonhos
colhe o que em mim resta
guarda -me a história fugidia
antes do cerrar das cortinas
do trancar das portas e das janelas do sol
que eu vou morrendo entre céu, a terra
e a água que em mim seca.
 
JF/MG/Brasil

9 - RETALHOS
(Marici Bross)

Por céus voando
Num levitar sem rumo

Um deslizar de êxtase
Onde o estar e o ficar
Não tem hora

São momentos sublimes
Que desfruto neste viver
São rotas de amor e carinho
Que percorro sem tempo
Sem hora de voltar

São retalhos de vida
Revividos sem pressa

 São recordações
Que a meu coração

Aquecem

SP/SP/Brasil
www.maricibross.com

10 - HOJE, ASSIM FIQUEI...
Regina Bertoccelli
 
Esperando que as nuvens se dissipassem,
que a chuva parasse e que as estrelas surgissem
Esperei pela lua amiga de minhas
madrugadas vazias e insones
Hoje, assim fiquei...
Com a esperança de ter você,
com sonhos para sonhar,
carinhos para dividir...
E aqui eu deixo um abraço sem braços,
um beijo imaginário dado na distância
em que nos encontramos
Um beijo com o sabor amargo
de uma saudade que acabou de chegar
Hoje, assim fiquei...

11 - BUSCA
Anna Peralva

 ...Busco o amor perdido nos conflitos,
a identidade ora sem registro
e as digitais olvidadas em sua face.
As emoções sempre desvirtuadas,
nos sentimentos entorpecidos
na insensatez dos instintos...
A intuição sufocada nas mágoas,
meu nome na estrela que se apagou...
Esquecer as lembranças
do seu corpo aposto ao meu,
retalhos de momentos
desvirtuados em atalhos
empoeirados pelo tempo...
Pedaços de uma vida inteira,
esquecidos na fugacidade da existência,
triste incoerência...
Ora busco em contradições,
esquecimento e reencontro,
consciência e inconsciência,
o murmúrio das palavras
e o olhar manso do silêncio.
O ontem refletido no espelho da alma
e o reflexo de um amanhã incerto,
diante do que hoje sou...

 Rio de Janeiro/Brasil

12 - RECOLHO-ME SÓ PR'A MIM
Helõ Abreu
 
Não quero viver grande
nem ser esperta assim.
Crescer não faz sentido
e o sentido não é pr'a mim
Parem a música, 
calem-se os tambores
Toquem uma serenata aos amores,
dos carrosséis e balanços de plástico.
Não me deixem cessar
de sonhar-me infantil, mimada
Não quero crescer . amar
ser forte como a mamãe
Não quero crescer, ter medos
ser bonita como a tua mãe.
Preciso dos meus brinquedos
de criança junto a mim.
Pastas e escritórios não.
Não pensem em fazer
de mim uma mulher de negócios,
Mais certo é que me torne ladra
Roubadora dos brinquedos de outras crianças.
Tiradora porque não me
deixaram pequenina e inocente
Não me deixaram dormir até tarde.
O acordar cedo cansa-me;
O despertador assusta-me;
O jornal da televisão não é para mim.
Demasiadamente sensível
de ouvidos e alérgica
ao mundo dos grandes.
Irresponsável.
Distraída.
Inconsequente.
Criança.
Crescer dói nas articulações do sonhar
Crescer estala-me os ossos da imaginação.
Serei tão insuportável no meu imaginar
de inadaptada,
que outro remédio não haverá
senão deixar-me andar
de mamadeira pelas ruas dos adultos.
Mamadeira salpicada
do meu orgulho em permanecer menina
Do meu gozo em ficar-me
pueril.
Só para mim......

13 - ME RECOJO CUAL RED QUE ME RETIENE
    BETTY
 
 Cual red que me retenga,
dónde un mástil como a Ulises,
dónde un muro de algas pérfidas
que me corte este vuelo,
que me imprima en la lengua
otra sed que no sea
esta sed de tomarte
con huracanes ciegos.
Me recojo, me guardo, cubro mi ser
 
No hay cuerda que me toque,
no hay turbios arrecifes.
Soy un rayo perfecto.
Ardo en un girasol
delirante de celo.
La sangre se me escapa,
tornado adolescente.
 
Una orquídea de oro
te he de poner por sexo.
No hay ríos maniatados,
no hay sal, no hay torcedura
que me lacere el paso.
 
Voy a beber el mar
que guardas retenido,
a arrancarte la copa,
el algodón de nieve,
de la leche los lares,
lentos linos, luceros.
 
Cubro tu cielo tu espalda.
recogiéndote entre mi cuerpo y el cielo.
CON TODO MI CORAZÓN
BESOS DEL ALMA
BETTY

14 - RECOLHO-ME, QUAL OSTRA..
V. M. S.
Arianne Evans
 
No lusco - fusco silencioso da noite,
onde os fantasmas começam a sair
de suas moradas sombrias, recolho - me,
qual ostra, a alma fria, em minha concha,
entre os escolhos da agonia...
Sim, agoniza de saudade o coração, sem
que nenhuma piedade revele o destino meu,
que arrancou - te dos meus braços de
repente, levando teu amor que era a seiva,
néctar dos deuses a correr nas minhas veias,
dando - me vida e alegria de viver no
colorido arco - íris de nós dois...
Percebo espectros rondando à minha volta,
São vultos negros com tentáculos famintos
e cujos nomes são saudade e solidão...
Eu sei, querem invadir meu coração,
fazer morada, aumentar meu desatino,
lançar - me à grutas negras, sepulcrais,
e ali fechar - me para nunca mais...
Mas meu espírito se rebela e grita:
Existe mais que um sonho prá sonhar!
Entendo que não posso me entregar,
acendo as luzes dos escrínios em abandono,
procuro, alerta, ouvir a música do mar,
o som do vento no arvoredo a ciciar,
em minha concha deixo a luz da lua entrar...
 
 Curitiba - Pr. - Br.
28/03/2007

15 - AMOR NA AREIA
 ® Raquel Luisa Teppich
 
Deitados na areia
palpitando nossos delírios
de apaixonados e amantes.
 
Cegos ao voraginoso universo.
Assemelhando-nos aos animais
e desfrutando plenamente nosso frenesi.
 
Nosso atarantado amor
rapidamente decorreu...
E ele ficou como um fugaz amor na areia...

16 - REDENÇÃO
[Patricia Montenegro]
 
Desisto!
Chega!!
Não adianta mais lutar..
E tampouco negar..
O que só me resta aceitar..
Vou soltar essas amarras..
Romper essas correntes..
Quebrar os cadeados..
E abrir novamente a porta do meu coração..
Vou jogar fora os medos e receios..
Que o vento forte leve embora o passado..
As tristezas e as magoas..
E que esse mesmo vento traga para mim um novo caminho..
Não importam os riscos que eu tenha que correr..
Isso é viver...
Para que ouvir sempre a voz da razão..
Se a vida é feita de incertezas..
Vou me deixar levar pela emoção..
E se forem loucuras..
Cometerei todas..
Eu lutei..
Neguei..
Recusei..
Mas chega!
Agora tudo o que eu desejo é para você me entregar..
Em seus braços me aconchegar..
Entre seus beijos me deixar levar..
Conhecer o cheiro e o calor do seu corpo..
Agora não tem mais solução..
É já é seu meu coração..
E só me resta: a redenção...
 
Patty_P.A.Z..sempre
Rio de Janeiro-Brasil
http://www.patriciamontenegro.com.br

17 - SUFICIÊNCIA.
Gerson F. Filho.

 No silêncio frio de um acaso,
Acoberto-me de realidade.
Com a parte mais sutil,
Do cântico de uma saudade.

Que brilha no sorriso do eco.
Que brinca como se tudo isso,
Não passasse de um desafeto.
Entre partes do meu coração.

Porque, esse mesmo dói demais.
Ante a expectativa da emoção.
O beijo frio da dor contumaz.

Pois, no entanto, me permiti,
Não ser tanto e nem tão pouco.
Só o bastante para não ser louco

18 - *SILÊNCIO*
 *José Ronaldo-JR* 
 
Ouço o silêncio gritar
Mas como ajudar?
Poucos querem "ouvir"
O que "ELE" sempre quer falar...

Neste mundo de desunião
Irmão ceifando irmão
Saiam da razão
Usem o coração...

Vamos amenizar a destruição
Neste mundo cão,
Vem...plante uma semente
Vem...caminhe com a gente...

Tire a pedra de tua mão
Não somos todos "irmãos"?
Vem...traga o amor
Coloque em tua mão uma FLOR

O que pensa daqui levar?
Acorde...deixe de apedrejar
Vamos este mundo mudar
E a todos...amar!!!

 *José Ronaldo-JR* 

19 - EU ME RECOLHO
 Joaquim Marques
 
 Eu me recolho muitas vezes em reflexão!
Me perco, nas horas que o relógio do tempo marca
impiedosamente.
Nesses momentos de recolhimento,
meu âmago se tranforma numa espécie de prisão,
meu pensamento mantem-se como confidente
 desse meio indefinido, onde se desenrolam, irreversivelmente,
as existências na sua mutação,
os acontecimentos e os fenómenos na sua sucessão ...
Porque os erros superam as virtudes
e castigam a alma de uma maneira impiedosa.
Sentimentos se mesclam na iminência
de querer demonstrar o que sinto.
Lágrimas, que outrora foram chave do calabouço
do meu ego, agora guardião de meus sentidos,
escoaram meus olhos do mais profundo desejo
E, por isso me encontro agora recolhido
 
 Portugal
30-03-07

20 - RECOLHER-ME?
Nany Schneider

 Em que tempos estamos,
Para ter que me recolher perante a vileza?
Aceitar a infelicidade sem lutas?
Prejudicar quem amamos?

Que era primitiva é essa...Não sei...
Os bons precisam abaixar suas cabeças?
As idéias de lealdade foram esquecidas?
Torpezas virando regras, que não obedecerei...

Recolhimento forçado? Amordaçado?
Não... Isso é sem tolerância.
Quem mede esforços para a chegada,
Que entregue o viver ao errado.

Não recolherei sem tentativas infinitas,
A dignidade da amizade, o amor puro e sincero,
Não ceifarei do coração, a virtude.
Nessa vida ou em outras vindas.

Nany Schneider
30/03/2007   16:58
Curitiba - Paraná

21 - MEU RECOLHIMENTO
Teka Nascimento
( poema escrito para a ciranda Recolho-me)
 
Quando me recolho ,olho pra dentro de mim
Olho o caminho percorrido
Revejo as estradas sem fim
E sinto o corpo dorido
 
Buscas insanas do amor
Procura constante do bem querer
Muitas marcas de dor
Espalhadas pelo meu ser
 
Nesse recolhimento imposto
cuido das minhas feridas
Acarinho meu corpo
Desabafo as minhas angustias
 
Assim...retorno mais sorte
Caminho com mais direção
Me dou um abraço forte
E te amo com mais emoção!
 
Lençois Pta.-SP-BR.
30/03/2007

22 - RECOLHO-ME
Augusta Schimidt

Nos escombros da vida
Recolho-me
Desfalecida, minha alma vaga
Escondida aqui e ali

Perdi-me
Ausentei-me no alento do vento
Na luta sofrida,
Na grande corrida

Recolho-me então
Em poeiras de lembranças
Onde a brisa sutil
Traz-me esperança

Esperança de um encontro
Um encanto
Um raio de sol...

Campinas/29/03/07 – 20.00h

23 - CACOS
Cássia Vicente
 
Desfeita em cacos
recolho-me com medo
de perder algum pedaço
e não mais voltar a ser
quem um dia fui...
 
Introspecta vou refazendo-me
como um quebra-cabeça
monto minha alma perdida
encaixando as partes
com a cola da saudade...
 
Quase perfeita reviro-me
e volto à vida quase perfeita...
 
Jataí.GO
30.03.07

24 - RECOLHO-ME
Neidehanf
 
Sou paz felicidade sou loucura amor ternura.
Sou azul preto e verde, sou beija flor do meu amor.
Também sou estigma da vida em pedaços
Muitas vezes enlaçando-me na impiedade

A alteza natureza é meu chão, simplesmente eu...
Tenho meus dias de verão e outono...
Sou mais noite do que dia
Sou primavera e inverno.

Mais sonha que realidade  
Mas fogo do que água.
Sou livre arbítrio.
Também dualidade.Sou fantasia...

No cume da montanha em noite enluarada
Deixo cair a mascara peço a Deus para ser refeita
Então sinto recolhida pelo braço do pai.
Volto então a ser eu mesma.

25 - ESPECIALMENTE PARA VOCÊ !
(OlhosDe£in¢e)
 
Recolho-me no divã de seu coração,
aconchego-me aos seus carinhos,
descerro a neblina da incerteza,
instalo-me em cada partícula de você!
 
Na ternura de seu olhar,
encontro a certeza de seu amor.
Na expessão carinhosa de seu sorriso,
sinto que cheguei ao tão sonhado
caminho do verdadeiro amor.
 
Sabe , meu querido...
Aquele amor mascarado,
aquele amor dissimulado
que algumas vezes me visitou,
dissipou-se para sempre!
 
Dentro de mim, recebo,
a sensação gostosa de sentir-me amada,
em confiança de um amor sereno,
em braços seguros,
na cumplicidade e na simplicidade
de uma vida a dois.
 
Espcialmente para você,
entrego-lhe :
os meus sonhos, os meus carinhos,
os meus desejos, o meu coração,
a minha vida. e o meu amor.
 
Curitiba, 30/03/2007
às 21h36
www.olhosdelince.net


26 - RECOLHO-ME
Ilze Soares
 
Na escuridão da noite
Recolho-me
Busco dentro do peito
A fé que me faz mais forte
 
Na luz que brilha de manhã
Recolho-me
Procuro em mim a alegria
Para que tenha um dia de harmonia
 
Nos instantes de sorte
Recolho-me
Peço a Deus que não permita
Que eu me torme egoista
 
A cada momento de dor
Recolho-me
Agradeço por conseguir atravessar
Tudo isso sem me desesperar
 
Agradeço a Deus por tudo o que tenho
E tambem pelo que não tenho
Por ter-me dado sempre condições
De tudo enfrentar,sem lamentações
 
Recolho-me
Porque sei que com fe e esperança
Nada abala minha crença.

27 - RECOLHO-ME
Glosando Arlindo Tadeu Hagen
Gislaine Canales

  horas perdidas...que ganhei...

MOTE:

Lembro as horas que eu perdia
te esperando e me comovo...
Agora, o que eu não daria
para perdê-las de novo!...

Lembro as horas que eu perdia
sonhando e fazendo planos,
morava em mim a alegria,
não havia desenganos!

Lembro o tempo que fiquei
te esperando e me comovo...
foi tão lindo o que sonhei,
que ele da alma eu não removo!

Relembro com alegria
aquelas horas douradas,
agora, o que eu não daria
para vê-las vivenciadas!

Me embala a recordação
e o doce sonho eu promovo...
convido meu coração
para perdê-las de novo!...


28 - RECOGIMIENTO
 © DRA.VICTORIA LUCIA ARISTIZABAL

Cerraré mi puerta y guardaré silencio
cuando pase la ronda por la calle
no agregaré mi copla
y todos pensarán que estoy durmiendo
 
Caundo baje a la huerta en el verano
caminaré desnuda por el campo
esperaré que la luna me acompañe
y será mi sombra la que guíe
mis pasos por el prado
 
Donde hubo soledad sembraré un árbol
y plantaré rosales allí donde quedara
mi palabra sin respuesta
 
Haré que brote una fuente en tu camino
y una estrella en el mismo jardín
donde vivió tu ausencia
 
En tiempos de trigos y viñedos
recogeré los frutos con mis propias manos
comerás de mis panes con nostalgia
y beberás de mi vino sin agravios
 
Sé que tendré la paz en el momento
en que adorne mi casa sin perdones
y aprisione mi voz en mi silencio
porque el Señor venderá para que yo le mire
porque vendrá el Señor a recoger mis versos
 
©VICTORIA LUCIA ARISTIZABAL
BOGOTA COLOMBIA
MARZO 31 DE 2007

29 - RECOLHO-ME.
 Beatriz Kappke

 Neste final de tarde o Criador
fez questão de colocar sua assinatura no horizonte.
É intenso o calor.
Mas maior é o presente.
Deste belo espetáculo da natureza.
Recolho-me!
Agradeço do pôr-do-sol a beleza!
Recolho-me!
Louvo ao Senhor
Pela alegria da vida!
Recolho-me!
Graças dou
Pela noite que se aproxima.
Recolho-me!
Grata sou pelas amizades
Que tenho aqui na Net.
Recolho-me.
Reina a paz absoluta.
Obrigada Senhor!

 01/04/07
 
http://www.beatrizkappke.com

30 - APROXIMAÇÃO
Priscila de Loureiro Coelho

Ah! Pudesse entrelaçar
Seus pensamentos aos meus
Nessa singela união
Abençoada por Deus
Iríamos nos aproximar

E na euforia que haveria depois
Surgiria o senso de orientação
Na partilha de nós dois
Como se fosse adesão
Simbiose improvisada
No despertar da paixão

Não há mensuração
De algo tão singular
Nem é de pequena monta
A arte de se associar...
Eu quase me sinto pronta
Para me aproximar...

31 - ROCHEDO DA SOLIDÃO
Sérgio Diniz Barros Guedes

Dissabores ó dissabores que fere a alma
e mesmo com toda calma
não afugenta os fulgores...
A ferida está aberta,
o coração se priva,
é como se houvessem raptores.
Ó dissabores sem regras
que ganham descaminhos,
no obscuro trilhar dos dias...
As mágoas brotam desatam o nó
no balançar do viver,
o barco torna-se solitário,
a visão é turva,
a memória confunde
aflição e razão,
o mar está revolto,
recolho-me a minha ilha
para sozinho meditar a vida.

sguedes@hcpa.ufrgs.br
 http://br.geocities.com/sdbguedes