CIRANDA - DEPOIS DOS VERDES ANOS

POETAS PARTICIPANTES

1 - Ferdinando

16 - Inês Marucci

2 - Raquel Caminha Matos

17 - Bernardino Matos

3 - Marcial Salaverry

18 - Falcão SR

4 - Daniel Cristal

19 - Humberto R. Neto

5 - Denise Figueiredo

20 - Mário Osny Rosa

6 - Cecília Rodrigues

21 - João Pessoa - PB

7 - =-ddaher@net21.Com.br ®

22 - Cristina Aceves

8 - Milamarian

23 - Antonio Cícero Silva

9 - Adolpho J. Machado

24 - @liosh@**/CIG@N@**

10 - © Noris Roberts

25 - Alfredo S. Mendes

11 - Alcina Maria Azevedo

26 - Sueli Espírito Santo

12 - Vyrena

27 - Isabel B

13 - Carmo Vasconcelos

28 - *SUSSU*

14 - Maria Granzoto Silva

29 - Lígia Antunes

15 - Princips

 

 

DEPOIS DOS VERDES ANOS !...
Ferdinando

Todos iremos cansar-nos e ser velhos...
todos temos o tempo contado!
Dilúvios de ansiedade do passado
patética canção que embala o tempo,
onde o amor foi a única alavanca dos sentidos,
num desejar que medrou horas em fuga.
 

Vão chorar saudade as pródigas auroras,
num gemido constante que cala o tempo
numa áurea ilusão de outros dias!...
Novas sementes nasceram mais férteis
numa mentira a fervilhar mais louca!
Das nascentes brotaram os medos, enchendo
a saca dos mendigos.
 

Na lupanar memória dos dias mais trigueiros,
na alma que sonhou asas sideradas
na tela onde se escrevia amor, é hoje lívido cansaço!
Rostos lacrimosos, que a vida correndo abandona,
Cumprindo-se a sina vã duma faceta,
Em fuga desastrada para o fim...

Germany 10-05-06
 
 
  DEPOIS DA JUVENTUDE
Raquel Caminha Matos
(Lindinha)

Não importa quanto tempo já passou
e hoje longe estejas da juventude.
O importante é que tudo superou,
para que possas sempre lembrar das atitudes.

Que as lembranças tragam saudades
nas tuas noites solitárias da vida,
mostres que o tempo passou é verdade,
mas não o deixou vencido pela lida,

Se chorares são lágrimas de boas lembranças ,
dos velhos tempos maravilhosos e bem vividos,
momentos de carinho, ternura, amor e esperanças,
cujo os sofrimentos eram desconhecidos.

Na tua juventude, se recebeste muito amor,
e hoje escorre em teu tosto uma lágrima sofrida,
seus soluços de tristeza são sem dor,
pois em sua vida foste feliz e tiveste guarida.

Eu sei que tudo termina, não nascemos para sementes.
A velhice vem chegando, abraçamos com louvor.
Felizes daqueles, que até aqui galgaram firmemente.
Serão abençoados por Deus, que vai recebê-los com amor.

Brasil
http://www.saladepoetas.eti.br/efigenia/amigos_meninas/lindinha.htm
 
 
  NO OUTONO DA VIDA
Marcial Salaverry

Aqui chegamos...
Saindo da primavera...
Passamos pelo verão...
Entramos na fase outonal...
Aproveitamos experiências anteriores...
Em benefício de nossos amores...
Sabemos
o que queremos...
Conhecemos da vida os segredos,
e afugentamos nossos medos...
Quando amamos...
é aquele amor maduro,
gostoso, seguro...
sabemos amar,
e nossa parceria agradar...
É a estação
melhor para o coração...
Nosso outono é gostoso,
cheio de prazer e de gozo...

Marcial Salaverry
Santos-SP-Brasil
Preserve os direitos autorais
 
 
  NO ESPLENDOR
Daniel Cristal

 Tudo veio assim breve como a brisa:
brancura a colorir cabelo basto,
agora belo e raro, o alvo vasto,
uma ruga na cara que não alisa...

Tudo foi imperceptível (não é crível),
tudo bem devagar, no dia-a-dia,
uma tristeza após cada alegria,
nem quero acreditar... subi de nível !

Ao nível do etéreo, ao espaço
onde tudo o que faço, é elevado
à dimensão do que é p'ra sempre amado...

 Nem quero acreditar no espelho baço,
na ocasião feliz deste amor,
que me prende a ti no esplendor !

©ArmandoFigueiredo
 
 
  DO OUTONO Á PRIMAVERA!.
 Denise Figueiredo

Não acredito
Fica o dito
Pelo não dito
Ainda saio desta
Tenho folhas nos meus pés
Ao rodear-me não trazem revezes
São elas adubo do meu tempo
Serão levadas pelo vento.
Rodei,vivi,sonhei.
Carreguei sonhos alheios
Também não sei
Por que razão os levei.
Apenas passou, é chuva e vento,
A primavera sobreveio ao inverno
Cheiros, cores e sabores...
O brilho do verão é o novo tento.
Me visto de uma nova aura
Quem me olha vê o outono,
Quem me ama a primavera,
Eu sinto o verão.
 
 
  REFLEXÃO
Cecília Rodrigues

Olho esta face...
Num espelho refletida...
Traços marcados pela vida ...
Reflexos de um passado presente ...
Estes olhos que firmemente...
Com certezas revêem...
Dias e horas de alguém...
Que hoje reflete...
O ontem...o hoje...o amanhã...!??? ( incógnita)
Neste espelho reflito
A inexorável verdade
Dos verdores a saudade
Porém em dias pródigos
E livre de todos os cansaços
Ainda ergo estes braços !!
E num libidinoso abraço
hoje os verdes anos entrelaço
Tão presentes aqui neste espaço
 
 
  JUVENTUDE
=-ddaher@net21.Com.br ®

Jovem não veio ao mundo para ser escravo,
nem para ser algoz , nem ser indiferente.
A determinação é para ser um bravo,
erguendo a fronte altiva, olhando para frente,
no verbo e na ação febril, para alcançar
o bom do impossível que nos faz sonhar.
Marchar pisando a lama...O solo seco e duro,
marchar com os pés, com as mãos, marchar como serpente,
olhar o céu, seguir na meta do futuro
na gaba de crescer, na gana de ser gente
e carregar no peito um grande coração
capaz de defender-se e de estender a mão.
Partir a procurar os astros do ideal
sem ogivas atômicas e sem astronautas,
na viagem etérea entre o certo e o irreal,
entre sons de violinos, órgãos e de flautas,
na música dos anjos que embalam purezas,
na força de lutar, querer, de ter certezas.
Não a certeza impura do tirano esperto,
nem a do pretensioso, mau ou paranóico.
Mas a certeza pura do que é claro e aberto
a todo pensamento positivo e estóico,
sem pretensão de ser o dono da verdade,
sem medo de enfrentar a dura realidade.
O medo - Rato vil de toda covardia.
O ódio -- Cobra torpe da traição nojenta.
A presunção – Chacal de toda tirania
A inércia –A lama , o visgo, a lama pestilenta.
Deus nos criou à imagem Sua e Semelhança,
não para prostituir a Fé e a esperança.
Talvez alguém pergunte nesta confusão
de condicionamento para produzir,
de lucros e de sexo, de televisão,
onde achar o ideal?...Que rumo conduzir?...
Unir o pensamento a Deus, achar o irmão,
cabeça no infinito e pés firmes no chão.-
Falar de Deus? Que deus acaso está na mente?
O que inspirou a Hitler, Vietnã ou Nero?
Alcapone? Lampião?...A crença do descrente!
O atroz conquistador – O impiedoso e fero?
Ou do apátrida a ter o chão onde não mora,
esmagando na lama a lágrima que chora?!
O Deus de Gutemberg, Sócrates, Platão,
de Braile, de Walesh, Pasteur, São Lucas, Buda,
Castro Alves, Piaget, de Ghandi ou Salomão,
--O que cria a esperança,o que entrega uma ajuda-
Na busca do direito, a justiça, o saber,
honra seu pai, sua mãe, faz seu irmão crescer.
Juventude não é somente pouca idade ,
é alegria , ideal, rebeldia e justiça.
Não dormir , do passado, em glórias ou saudade,
ser o vento que a chama da caldeira atiça.
Se cair, levantar . Começar todo dia
como se fosse nova a luta e a alegria.
Caso o sol da esperança se puser de novo,
ser o facho de luz em sua própria senda.
Se possível clarear ao vizinho e ao povo
mesmo que alguém duvide, zombe ou não entenda.
Brilhar a própria luz. Gritar o justo grito.
pois todo gesto nobre é eterno ao infinito.
Fahed Daher – Médico- Academia de Letras de Londrina-
Governador de Rótary Distrito 4710=95/96//
Pres.da Academia de Letras Centro-Norte do Paraná.
Academia de Letras José de Alencar( Curitiba)
 
 
  ANOS PRATEADOS
Milamarian

Vai-se a primavera,
e com ela, lindas flores
e o outono desta vida
chega trazendo novas cores.

Trazem em suas folhas,
minhas inexperiências vividas
amores e desamores
e muitas lágrimas caídas.

Carregam os encantos contidos
na primavera dos anos dourados.
à esta nova fase que se inicia
chamarei "meus anos prateados".

Não serão menos brilhantes,
serão dias repletos de lembranças
daqueles meus velhos amantes.
Pleno de boas recordações,
de um passado distante
mas com as experiências adquiridas
de uma primavera fascinante.

Japão - 12.05.2006
 
 
  VELHA AMIGA
Adolpho J. Machado

Ruas, praças e recantos
Percorrendo vou, e, a sonhar
Procuro em vão velha amiga
Com todos aqueles encantos
Que hoje à memória me vêm
Mas apesar da solicitude
De pássaros que cantam
Em frondosas árvores
Ela não aparece
Trata-se da minha juventude!

E, um sorriso triste que,
já violenta rugas de lábios frouxos,
à guisa de chave, descerra
a lousa que, num tempo distante,
inumou restos de sonhos oprimidos,
para lembrar apenas,
boêmias madrugadas!

http://www.majoemachado.com.br/
 
 
  Cuando pase el tiempo…
En las líneas de mi piel
se asomaran todavía tus besos
pletóricos de ensueños.
Tu amor será el trofeo
que luciré en mi cuello…
alegre, sonriente y enamorada como siempre.
Cuando pase el tiempo…
Relataremos nuestra historia al viento.
El sol abriéndonos caminos sonreirá…
y nuestras vivencias con escarchas regarán.
Nuestro amor sabe a poesía…
La más hermosa pasión que fue escrita con fulgor.
© Noris Roberts

TRADUÇÃO
Quando passe o tempo…
Nas linhas de minha pele
se assomassem ainda teus beijos
pletóricos de sonhos.
Teu amor será o troféu
que luzirei em meu pescoço…
Alegre, sorridente e apaixonada como sempre.
Quando passe o tempo…

© Noris Roberts
 
 
  DEPOIS DOS VERDES ANOS
 Alcina Maria Silva Azevedo

Não me perguntem quantos anos tenho
Deixe os anos para lá passarem alegremente
Sem alterar a vida da gente.
Deixe que os anos me levem até a felicidade.
E que eu possa sempre sentir saudades.
Os anos passam...e a gente aprende
E as vezes desaprende.
Mas são sempre anos vividos com verdade
Espreitando a vida, fazendo nossa caminhada
e sempre procurando a felicidade.
E aqui meus amigos eu deixo meu recado:
Que nunca me perguntem quantos anos tenho
Mas que se lembrem de mim
Com muitas saudades!
 
 
  ENVELHEÇO
Vyrena

Juventude acabada
um verão que já se foi.
Vem aí o outono da vida,
o envelhecer,
do qual ninguém ainda conseguiu escapulir
e, consciente de que retorno não há,
envelheço feliz pelos anos que vivi,
pelas lembranças que guardo em mim,
pelo que realizar consegui,
por tudo que a vida me deu, enfim!

Envelheço, olhando o céu estrelado
em sua infinita beleza.
Envelheço, estou preparada,
essa é a lei da natureza.

Envelheço, os filhos ao redor de mim,
sementes que germinaram,
cresceram e se transformaram
em flores do meu jardim.

Envelheço, sim envelheço.
A vida é mesmo assim.
Se nascer é o começo,
envelhecer é o princípio do fim.
 
 
  CABELO BRANCO
Carmo Vasconcelos
(Carminho)

Amo o meu cabelo branco!
Nele não vejo saudade
das estações já passadas…
Antes espelham… e tanto!
minhas cumpridas jornadas
Enquanto mudou seus tons
mudei minha ambiguidade
fui descobrindo meus dons…
Por que então sentir saudade
dos tempos da mocidade?
Muito agradeço aos pintores
que com enormes desvelos
querem pintar meus cabelos…
Mas tingi-los de outras cores
não desfará meus novelos
Parecia outra… é verdade!
Mas outra não quero ser…
Gosto de mim, sem vaidade
cabelo branco é saudade
pra quem não sabe viver
Cabelos pretos, sedosos
de ébano os seus fulgores
já os tive meus senhores!
Foram clareando teimosos
entre alegrias e dores
Os meus cabelos de neve
branquearam meu caminho
fazendo-me ser alguém
que somente ao tempo deve
o deixar de ser ninguém
Só agora que são brancos
me trazem serenidade
e paz profunda, por fim!
Sua cor não é idade
idade… é dentro de mim!

Lisboa-Portugal
 
 
  OCASO
Maria Granzoto da Silva

Depois da juventude
Vem a maturidade,
Vai-se a inquietude,
Vem a tranqüilidade.
Passados os verdes anos,
Em que o sonho é inconstante,
Superam-se os desenganos,
Mas a saudade é intrigante...
Guardadas na memória
Ficaram todas as cenas
Que fizeram a nossa história!
Doce tempo, duras penas...
Hoje, já no ocaso da vida,
Vendo as horas passarem
Me sinto um tanto perdida:
Quisera não ver os minutos cessarem...
Cai a lágrima,
Goteja.
E sobre a alma
poreja!
 
 
  SUBJETIVO
Princips

Flâmulas de ouro
copos de cristais
corpos de meus louros
pés nos sais

A madrugada verde
o amanhecer feliz
beijos de morangos
o encanto dos sabores

Relógio do tempo
o canal da vida
o escape de retumba
o louro verde-amarelado

Os dias de sábio
as noites de insônia
O cantar de bem-te-vis
e o ninho da coruja

A vela reacesa
O calçar de bengala
os olhos descamados
e o rito da célula morta


 SEMEADURA DIVINA
Inês Marucci

Tropeços, reveses, temores, nostalgia, fadiga,
sulcos desenhando nossas faces sem màscara,
qu'este tempo tâo velho quanto elas as abriga,
assegurando olhares divinos enviando quimera!
Fardos maciços, tal casulo foram desprendidos
de nossa folhagem tênue, inserindo o Balsamo
que nos diviniza como humanos e este salmo
de vid'agora nos compensa e flori aos mundos!
Frutos e frutos cheios d'incrivel misteriosidade
nos rodeiam entre encantos d'antes soluçados,
por noss'alma chorosa e carente da eternidade,
agora regalada na fé que salva entes perdidos!
Libertos, o Balsamo dos balsamos nos espera,
sem o peso de cabeleiras enroladas do tempo,
que escorreram por nossas beiradas; oh, serà
o maior tesouro alcançado tocar Deus olimpo,
olhando sua face de sacrificio'em nome d'amor
e lacrimejarmos juntos nos jardins aonde a flor,
deusa da vida canta hinos e em nos transcende,
unindo passados de sempre num grato presente!

Grenoble-13/05/2006
 
 
  SINTO SAUDADES DO AMANHÃ!
Bernardino Matos.

Existe o inexorável ciclo de vida das organizações
acompanhamos o ciclo de vida dos produtos,
inverno, primavera,verão, outono, ciclo das estações,
a luta das organizações é sempre colher bons frutos.
O produto, nasce, cresce, amadurece e rejuvenesce,
o cuidado é evitar-se o seu declínio que o leva à morte,
o rejuvenescimento das organizações se estabelece,
na renovação constante, de estrutura, metas e porte.
O ser humano enfrenta uma trajetória parecida,
nasce, cresce, madurece e pode chegar ao declínio,
o corpo envelhece com o peso dos anos é a vida,
mas a alma pode conservar a juventude, rejuvenescida .
Ela continua com a mesma capacidade de empreender,
de amar, de afagar, de ser feliz, de recordar vivências,
esse é o seu maior desafio, viver seu tempo, não ceder,
ela muda de pista de corrida e encontra outras evidências.
A experiência, a sabedoria, a lucidez, refletem juventude,
a compreensão, a paciência, a persistência, a coragem,
diante da vida, sem medo da morte, afastam a inquietude,
e numa noite de lua cheia, vemos que só mudou a paisagem.
Essa é a única juventude que conta, em todas as idades,
existem jovens velhos, que relembram vivências passadas,
existem velhos jovens, que encaram novas realidades,
o importante é não viver em torno de coisas antiquadas.
É reconfortante presenciar-se um casal de velhos enamorados,
para eles o rosto é o mesmo, o afeto é maior, a mesma candura,
o cuidado de um para proteger o outro, repetem tempos dourados,
eles ainda andam de mãos dadas, exalando,hoje, a mesma ternura.
Em nome da juventude do corpo, muitos deixam a alma envelhecer,
mudam de parceiros ou de parceiras, vivem apenas de emoções,
e quando se dão conta, as oportunidades tidas não vão mais acontecer.
e parecem velhos lamentando perdas, revivendo suas recordações.
A juventude está na renovação contínua, sem trégua da alma ,
não se tiram rugas da alma, nem se criam estrias na mente,
não existe silicone para o amor, a aparência não aporta calma,
a luta atual é a busca de ilusões, é viver uma juventude aparente.
O que mais me atrai na vida é a verdade, a transparência, a beleza,
interior, a aceitação pelo que somos, não pelo que parecemos ser,
a mão pode estar trêmula, o corpo fraqueja, permanece a destreza,
no entender, no adaptar-se, na alegria de eternizar o nosso viver.
Existem velhos ranzinzas, cheios de manias, que vivem a reclamar,
pararam no tempo, decretaram a contagem regressiva da vida,
provocam atritos, impaciência, carência, sem mais amor pra dar,
é triste perder-se a juventude, e fazer de cada passo uma despedida.
O amor é a fonte da juventude, desconhece o tempo e o espaço,
elimina qualquer contagem, não existe o fui, nem o outrora,
quando se fala “no meu tempo”, é um sinal de velhice e cansaço,
o que importa é o hoje, que se vive intensamente, o nosso agora.
É bom recordar as loucuras do passado, os amores vividos,
as lembranças amenas, mas sem aquele sentimento de tristeza,
como se essas reminiscências fossem aqueles momentos tidos,
como os únicos que tiveram sentido e nossa única certeza.
Quando olho para trás eu sinto orgulho dos pais que tive,
da convivência com amigos verdadeiros, dos amores,
vividos intensamente, das paixões, que ainda se revive,
não sinto saudades do ontem, mas do amanhã e suas flores.
Eu sinto saudades do amor que ainda poderia viver,
de conviver com os netos que ainda vão surgir,
de estar perto dos filhos que vão crescer,
da evolução, das mudanças, que hão de vir.

Fortaleza, 13 de junho de 2006
 
 
  ESPELHO
*Falcão SR*

Espelho que sabe os segredos
Dos meus cabelos prateados
As frustrações da minha vida
Lindos sonhos não realizados.
Tudo que tento esquecer
Só tu me fazes relembrar
Tristeza que tive ao te ver
Pranto que me viste derramar.
Rugas que marcaram meu rosto
Frutos dos desenganos sofridos
Amarguras, decepções, desgostos
Do que julguei ser tão lindo.
Tu conheces minha história
Minhas efêmeras alegrias
E posso entender agora
Que ao te fitar, na realidade,
Era só tu que me vias.
 
 
  SÍNTESE
Humberto Rodrigues Neto

Vivi buscando as rútilas quimeras
de fátuos beijos e sensuais abraços,
e hoje constrinjo, no vazio dos braços,
a solidão de todas as esperas!

Construindo em nadas minhas primaveras,
vim tropeçando em todos os cansaços:
lá atrás faliram meus inúteis passos
e as vãs promessas que julguei sinceras.

Represos nuncas sufocando o mar
dos meus agoras... Em mais nada crer,
nem mais, no sempre, conjugar amar!

Nada mais ser, na química do ser,
que o compulsivo anseio de chorar,
e a possessiva urgência de morrer!
 
 
  DEPOIS...
Mário Osny Rosa

Depois da juventude
Chega a magnitude
Logo da experiência
Vem a boa vivência
Juventude rápida passagem
Que marca com a imagem
Depois vem a maturidade
Com aquela muita lealdade
Vivência em comum
São dois sendo um
Maior é a duração
Num amor de irmão
Da juventude as lembranças
De todas aquelas andanças
Depois de uma vida vivida
Logo vem uma partida
São José/SC, 13 de maio de 2.006.
morja@intergate.com.br
www.mario.poetasadvogados.com.br
 
 
  É A VIDA
João Pessoa - PB

Ontem bem próximo,
uma criança...
Um sopro, a juventude...
Hoje adulto... Velhice acenando.
Novo ciclo recomeçando...
Jamaveira
 
 
  ¡LA JUVENTUD ESTA CONMIGO!
Cristina Aceves Colibrí / U S A

Esa mi juventud esta conmigo,
eterna primavera por tu amor;
en mi otoño, tu mi gran amigo
eres el fuego que me da calor.
Soy como esa linda mariposa,
de mil colores, alegre volando,
del jardín soy clavel, loto y rosa
y el pajarito ruiseñor cantando!
Melódico rió jubiloso de renacer,
en el mar de tus labios amorosos,
y en cada ola soy coral a florecer
en tus ojos españoles primorosos.
Están mis venas llenas de juventud!
mi risa cascabelera va tintineando,
por ti amor mío, reboso en plenitud
pues cada día mas te sigo amando!
¡OTOÑALES!
Yo desbordo en mis años otoñales,
estoy amando con todo mi corazón,
reverdecen en mi alma los trigales,
¡Porque llevo a manos llenas ilusión!.
No añoro los años verdes glamorosos,
ahora es cuando yo comienzo a vivir,
pues todos mis días brillan gozosos,
es el tiempo mas bello de mi existir!
Resplandecen las estrellas de mi cielo,
ya no hay mas noches en la oscuridad,
y duermo tranquila, no hay mas desvelo
en mis años mozos, solo había ansiedad.
Soy feliz! la nostalgia no germina en mi...
Adoro mi otoño, pues corre en mis venas
ese amor verdadero que antes no conocí
Amo! Soy amada! en ilusiones... eternas!
 
 
 
 DEPOIS DA JUVENTUDE
Antonio Cícero da Silva

Na vida tudo passa
E com muita rapidez
Ás vezes nem tem graça
E abraça a estupidez.
Depois da juventude
Já se lembra do passado
Ninguém jamais se ilude
Por ser já bem informado.
Ao se tornar maduro
Adquire-se experiência
Está bem melhor o fruto
Sem nenhuma decadência.
Depois da juventude
Torno-me idoso
E com linda atitude
Sou sempre mais garbosos.
A juventude já passou
Somente me restou a lembrança
Mas isso não me desanimou
Para viver mantenho a esperança.

Carapicuiba/SP, 13/05/2006
 
 
  PLENITUDE
@liosh@**/CIG@N@**

Depois da juventude
Podemos estar em plenitude
Depende de nós
Quimeras...queixas...deixas
Para que..por que?
Anos dourados...prateados,
sei lá o que!
Nascer...crescer..viver
Revigorar, reviver
Não se deixar fenecer
Mágoas..lágrimas...lembranças
Guardemos a criança
Que merecemos ser
Doa se tiver que doer
Sempre valerá a pena
Se a vida lhe for plena
E se o não for?
Ah..se não ...assuma
Reaja...reforme-se
Há tempo de sobra
A felicidade existe...
Basta você desejar... querer.

13/05/06
 
 
  ADEUS JUVENTUDE
Alfredo dos Santos Mendes

Depois da juventude ultrapassada,
a vida passa a ter outro sentido.
E todo o aprendizado adquirido,
será o nosso guia de jornada!

Teremos pela frente, tudo ou nada.
Qual deles será, de nós o nosso adido?
Será que ficaremos no olvido?
Nossa porta estará sempre fechada?

Há que sorrir em cada despertar.
E nunca se esquecer de comentar:
que há mais um dia todas as manhãs!

E quando já passados muitos anos,
não devemos chorar os desenganos,
mas olhar com orgulho nossas cãs!

Lagos 14/05/2006
 
 
  MOCIDADE DISTANTE
Sueli do Espírito Santo

Parece que foi ontem, criança
coração palpitando esperança
logo, logo ser um adolescente
para em tudo estar presente
Hoje, com tantos anos passados
vida e valores tão transformados
no passado fica toda a vaidade
dos bons tempos da mocidade
mas no peito ainda bate um coração
sentindo uma outra doce emoção
emoção sem mais falsas ilusões
com novas e concretas visões
visões do verdadeiro sentido da vida
que ainda tem muito a ser vivida
vivida com paz e tranqüilidade
na suave fase da maturidade...
 
 
  ANOS NÃO TÊM COR
Isabel B.

Mas são verdes
Como o relvado
De manhã, molhado de orvalho
Amarelos
Como o Sol
Aquecidos pela vida
Tom vermelho
Pelo amor
Quente, conhecido e apaixonado
Azul límpido
Como o céu
Pela saudade já conhecida
Juventude eterna
Como arco-iris de todas as cores
Onde cada dia, cada ano foi e é uma dança
Em que cada passo novo é mais que lembrança
Cada abraço é mais apertado
Cada beijo é mais desejado
E mesmo no silêncio a voz se ouve mais meiga e terna
 
 
  DEPOIS DA JUVENTUDE.
*SUSSU*

Quando somos jovens o mundo todo nos parece feito de sonhos.
Sonhamos dormindo, sonhamos acordados,
sonhamos o tempo todo, somos atirados
nada nos é perigoso, somos arrojados.
Os anos passam sem que apercebamos,
de repente acordamos, não somos mais jovens
e descobrimos que não estamos mais sonhando,
sentimos que a vida não mais nos açoita com grandes surpresas,
é onde nos encontramos com mais experiência
Estamos nos amadurecendo, nos tornando mais equilibrados,
contidos e ponderados
perdemos a espontaneidade da jovialidade
mas ganhamos experiências pelos anos vividos,
essas experiências fazem com que juntemos
os pequenos e os grandes momentos e aproveitemos
investindo melhor em sonhos e pensamentos.
Uma das grandes bênçãos da vida é a experiência
que os anos vividos nos concedem por excelência
Após a juventude uma nova era se abre
diante de nossos olhos e a sabedoria que nos é dada pela vida
nos ensina que a beleza esta na escolha de novos horizontes.
Depois da Juventude nos vem uma era de reflexão
onde nossos horizontes são conduzidos,
calcados nas experiências pelos anos vividos
Damos outro sentido em nossas vidas
conduzindo-a com maturidade e com serenidade.
Quando nos amadurecemos compreendemos
que é vital olharmos para o futuro com esperanças,
nunca pararmos no tempo, termos sempre metas e aspirações.
É crucial darmos sentido em nossas vidas
para torna-la repleta de alegrias e realizações.
 
 
RAPSÓDIA DO TEMPO ...
Lígia Antunes Leivas

Rodopiando vem o tempo...
Põe verdes de esperançosas manhãs
na auréola de minha mente.
Sinto arrepios na alma...
Ah!... o tempo... sempre o tempo...
(relógio sacrossanto, inexorável...)
Vejo-o com ofertas de sonhos...
E nele sonho a vida em esplendores
a cativar meus segredos
de amor
de desejos
de saudades
que lá ao longe
um futuro me dirá
quanto poderia ter sido eu feliz...
Volúpias acorrentadas desenham
clamores nascidos ao verão de ouro.
E este inverno, velho sorrateiro,
me faz dançar luas prateadas
sem a doce ilusão
de que o tempo
...foi-se...
... não voltará ...
Sou tempo ? Sou vida?
Quem sou ?...

 
 

 

rosadourada