CIRANDAS-

A VOZ DA LIBERDADE

A NOITE NÃO É TEMPO CALADO

                            

             

A VOZ DA LIBERDADE
Ferdinando

Longinquamente mais perto
Vibro nadas!..
Os silêncios em diagonal
Ferem-me a alma...
Este instinto leva-me ao tremor
Que sempre habita em mim!
Já colhi os amores que sabiam a pão
De pródigas manhãs...
Vejo charruas libertadas,
Com ecos de espaço na minha mente,
Onde vibram as emoções apáticas aos sentidos!...
Que eu seja a hora germinada
Dos dias em que estes versos,
Tenham a voz da liberdade...

Germany

 
 
  O CHORO DA LIBERDADE
Joaquim Fernando Baptista

Deito lágrimas pela liberdade
Quando levanto, desprendo me
Dos sonhos que durante a noite tive
Do medo, das turbulêntações que me acompanham.
Lágrimas escorrem pelo rosto
Viram sangue da luta inifnita
Grito, tento tudo para dizer te,
A dor que aperta-me meu sufoco
Tento a todo esforço jogar palavras para fora
Mas o que sai são as lágrimas pesadas
Que com soluços me custa exprimir
A dor que me prende dentro de meu intimo.
Olhos espantos sem objectivos
De crianças perdidas em vozes do silêncio
Pois sabendo qe encontram um mundo surdo
Onde a Liberdade só existe na escrita.
Deito lagrimas de ver tanto sofrimento
De escutar gritos e nada posso fazer
Me sinto amarrado, perdido,
sem forças para exercer acção
O que me resta, é meu choro da Liberade.
Deito lágrimas pela Liberdade
Que um dia tinha, e hoje não existe mais
Somos apenas escravos da vida que nos apanhou.
Surpresa? Não! Pois somos escravos da Liberdade
Que só existe em papel escrito pelas mãos
De quem promete e não querem cumprir.
Hummm... Que bom seria
Poder verter lágrimas de alegria,
de ver crianças bricando vendos adultos,
com sensibilidade reconhecendo que mesmo crianças
tem o direito da verdadeira liberdade.
Deixamos nossos corações brotar alegria
Deixamos de ser presos pela ignorânçia
que nos amarram, oprimem nossas vontades
gritando com choro no rosto,
pela verdadeira Liberdade.

Neuss / Alemanha 
 
 
 LIBERDADE
Por Denise Figueiredo

No universo infinito,
A alma tosca e cambaleante,
Também sem tempo e espaço definido,
Não tem boca nem ouvido.
Por vezes em ruas cambaleantes,
Outras, entre almas palacianas,
Que de punhos cerrados nos portais de ouro
Nem conseguem dormir.
Outras vezes carregam enormes fardos
Pelos outros ditos, coitados!
No entanto, são instrumentos do poder.
Que os usa como parte do seu ser
Quisera poder lhes dizer!
Sou livre! Não recebo ordens!
Apenas uso palavras!
Que cumpro e muda meu viver.
Tenho a mente livre!
Falo penso e decido!
Planto e colho!
Não sem antes ter cuidado do que plantei.
Isso tudo ocorre,
Porque em minha mente,
Gerei algo novo e crescente!
Não um ser que nada sente!
Por amor a Liberdade!
Eu sou parte eu sou tudo!
Por um tempo definido!
Em outro tempo, infinito.
E viva a Liberdade!
A mente livre caminha,
Tal e qual,
O gigante ser que a domina!

Rio de Janeiro
BRASIL
 
 
 GRITOS ABAFADOS
Isabel B

Sufocados
Mas gritos que ainda se ouvem
Sejam palavras
Faladas
Ou escritas que nos movem
Gritos que acreditamos
Gritos de criança,
Gritos de adulto,
Gritos sem idade
Liberdade que vibra
Só de ouvi-la
Que nos retira da cegueira
Voz que chama outra voz
Que se espalhe pela Terra inteira
Grito que dá força p'ra mudança
Um que apela a outro
Com a mesma força do primeiro grito
Se nos dá, ao nascer, uma criança.

 
 SONHO DE LIBERDADE
Lídia Valéria Peres

A liberdade faz nascer um sonho.
Com ela uma estrela nasce...
Nesse mundo, nada imponho,
e quando partir para o meu repouso,
não será uma cruz, nem um precipício...
Será a realização do meu sonho:
A liberdade com as estrelas no céu sem fim.
Quem ama, inventa, pensa...
Talvez um dia a liberdade acenda a sua chama,
é o que minh'alma clama.
Por um bimbalhar de sinos, eu menina,
segurando as cordas que conduzem os sinos
festivamente, encontrarei um ritmo, mesmo que tristonho,
a liberdade que precisamos e que tanto sonho.
Suspiro... os ventos vêm ao meu encontro...
Batem-me no coração .
Eu os sinto com assombro, sentindo frio,
inquieta esperando a liberdade almejada
que trará minha ressuscitação...
Ressuscitar como a menina que fui...
Ah, minha vida e a de meus irmãos neste mundo...
O que fizeram delas?
Mas ainda uma força me intui.
Às vezes, como um andarilho,
sem rumo, sigo a caminhar.
Sem pressa, divagando,
pensando como a liberdade encontrar.
Misteriosos trilhos... bom sonhar!
Buscando novos idílios, com paz, na ofegante procura
da liberdade incauta, sentindo uma voz que me chama.
Meus olhos entrefechados, sonhando sob a paz lunar.

lidiavaleria@mandic.com.br
http://www.saladepoetas.eti.br/poetas1/lidia/indice/in dex.htm
Consulesa de "POETAS DEL MUNDO"
representando São José do Rio Preto, minha cidade.
http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp? ID=1332
 
 
Lizete Souza Passos  
 Liz ,Amorosamente em Liberdades
 A vida em lutas para o alcance de liberdades
São momentos de sonhos de quimeras,
realidades enquanto em sonhos estivermos,
sensações vividades de amplitudes do aquilo ,que se projeta
como liberdades...
Mas, o grito d'alma inquieta, pede mais de que um grito,
solicita socorros, solicita afagos, solicita ampla movimentos
de corpos em caminhadas ,para o gozo de sua vida,
em companhia de si mesmo, de si mesma,
um homem , uma mulher, com direitos e deveres,
com consciência humana livre, de amarrras,
de um passado opressor,
Presentenado o presente , com um sorriso,nos lábios...
a/nas atrocidades e aceitando-se cada qual, para:
Sim ,unindo-se as consciências humana+ consciência crística,
este misto que somos,
dentro de responsabilidades, para consigo próprio/
a e para com a universalidade,
estarem-se em liberdades ....somam-se compromissos éticos,
enquanto vida fisica somos eticamente
chamados a responsabilidades profissionais, culturais, sociais...
Sim, liberdades, de corpos fisico, mental emocional, e etéreo,
Liberdades, em liberdades, liberdades amorosamente,
São momentos de harmonia, de alma liberta, em vida,
Assim ,caminhanhamos no amor liberdades, voz da liberdade,
Perfazendo o fazendo o presente a voz da liberdade.

lizetesp@terra.com.br
Porto Alegre 11.05.06
Brasil
 
 
 
 A NOITE NÃO É TEMPO CALADO

 
 
 A NOITE NÃO É TEMPO CALADO
Ferdinando

No final do dia se abrem janelas para a noite,
começam serpenteando os sonhos suplícios
no infindo crepe, a par do indeciso aflorar,
onde a maldade grita escondida em cada canto...
onde o pecado germina em cada esquina triste!...

É na noite que se vivem horas roubadas,
amores jurados feitos de mentiras num sacio...
onde a tragédia desliza, apoiando a crueldade,
emporcalhando vidas feitas de queixumes...
como o sol beija a pedra em estátua nua.

É na noite que as promessas se vestem de amor,
e a ilusão chega em diagonais que me fere a alma,
no negrume onde a maldade vagueia em avidez...
no longe, os rios ficam parados no silêncio,
num cismar onde morre o desejo do novo dia...

É na noite que eu me vejo na plataforma do Ser
comovente, no bradar plangente dos pobrezinhos,
onde o faminto, e o desnudado no horizonte do anseio...
fazem da calçada sua cama, e da sua manta o luar,
numa espera onde os sonhos já cansados se repetem,
onde o resigno é a dimensão da sua liberdade...

Germany
 
 
 A NOITE TAMBÉM TEM VIDA
Joaquim Marques

Fim de tarde! O sol, esconde-se no horizonte,
deixando nas núvens o arrebol, que, ao desvanecer,
dá lugar à noite. Esta, com outa forma de viver...
Pois a vida continua... depois do sol se esconder.
Noite, é vida... Até que o novo dia desponte!

Noite!... Capa negra dos desprotegidos...
Dos vencidos da vida... A quem a má sorte...
Deu a noite como vida, em vez de lhes dar a morte.
Noite! Propícia à solidão, à nostalgia...
Dos que, dando tudo à vida... Por ela foram esquecidos.

Noite! Onde sombras misteriosas...
Se movem silenciosamente em qualquer rua...
ou se escondem em qualquer recanto... expectantes,
qual fera... vezes, para atacar suas presas...
Vezes, esperando, simplesmente... Amantes!...

Mas, a noite, também nos trás sedução...
Porque senão existisse a escuridão,
Não sobresairiam, das luzes, os néons!...
A lua e as estrelas ficariam adormecidas!
Por tudo!... A noite também tem vida!

Porto - Portugal
 
 
  NOITES
Patricia Neme

Em todo entardecer escuto passos,
na estrada que se achega ao meu portão;
embora haja penumbra, vejo os traços
dos andarilhos... Deus! E quantos são!

Na casa, se assenhoram dos espaços,
percorrem cada palmo do meu chão.
Semblantes - de ventura tão escassos,
contemplam-me... E a dor me envolve, então.

Porque nos olhos meigos dos meus sonhos,
o amor sulcou caminhos tão tristonhos,
onde apenas saudade floresceu!

À noite, em terno rito de agonia,
unidos, sonhos, eu... E a nostalgia...
Ninamos o que nos restou de teu.

Palmas - TO - Brasil
 
 
 JANELAS
Graça Ribeiro

Na escuridão da noite observo as estrelas
meu pensamento vagueia no azul infinito
busca respostas que bem sei impossíveis
de ser entendidas em nosso universo finito

Vejo uma estrela caindo atrás da montanha
talvez seja pensamento do céu chorando
quem sabe a visita de alguma Luz à Terra
para fertilizar o solo dos corações humanos

Talvez para nos mostrar que podemos cair
mas que prosseguimos nossos caminhos
para fazermos brilhar a nossa luz
a vida não pára

Uma estrela parece sorrir brincando de Ser
talvez seja o pensamento do poeta pensando
que tudo pode com suas palavras e poesias
tecidas com os fios de sentimentos bons

Duas estrelas parecem estar de mãos dadas
talvez seja um jovem casal de enamorados
fazendo projetos para um futuro de luzes
pequenas estrelinhas com sonhos imensos

Olho nas sombras da noite o céu de estrelas
na Terra. Este chão azul atapetado de pessoas
que amam, sonham, choram, gozam, sofrem,
sentem, magoam-se, perdoam-se e passam

Passamos e são muitos os que atravessam
alguns permanecem tatuados na pele
dos nossos sentimentos para sempre
A noite nem sempre é ausência de luz

Precisamos ter ouvidos de ouvir
olhos de ver e coração para sentir
"só quem ama é capaz de ouvir
e entender estrelas"

Minas Gerais - Brasil

 
 
 ESTA NOITE
Regina Bertoccelli

Sonharei os meus sonhos no aconchego
e no calor de meu leito
Quero me sentir criança que cansada depois
de um dia de traquinagens,
se entrega docemente e adormece
nos braços de anjos
Anjos que velarão o meu sono,
trazendo a paz de que tanto necessito
Quero a minha alma liberta, solta,
pois caminhos novos encontrarei
Quero sonhos coloridos, tingidos de matizes
suaves e translúcidas ,
para enfeitar o meu mundo
Que sons melodiosos e harmônicos acalentem
o meu descanso
Que a natureza se faça presente e me ofereça
o perfume de suas flores, que mesclado com o aroma
da madrugada, me inebrie
E das lembranças boas que marcaram o meu dia,
tirarei retalhos e os transformarei em sonhos...

São Paulo / Brasil

 
 

 

rosadourada