CIRANDA - SOMBRA

POETAS PARTICIPANTES

1- Ferdinando

16- Theca Angel

2- Odir

17- Pinhal Dias

3- Maria Thereza Neves

18- Clara da Costa

4- Maria de Fátima Moraes

19- Bene

5- Penhah Castro

20- Humberto R. Neto

6- Anna Peralva

21- Nidia V. Potsch

7- Dioni Fernandes Virtuoso

22-Ary franco

8- José Ernesto

23- Iraque de Melo

9- Tarcísio R. Costa

24- Cônsoli

10- Wanderli Granato

25- Mifori

11- Rita Rocha

26- Maria Olga O. Lima

12- Fátima Abrantes

27- Mara Poeta

13- Luzia Cardoso

28- Rute Seubert

14- Rosi Mori

29- Glória Marreiros

15- Ervin Figueiredo

30- Mary Jenny

1-SOMBRA
Ferdinando©

Às vezes sinto asco da jornada
Desejo enorme de me tornar vazio,
A pálida sensação de não ser nada
Cobrir-me com a noite sobre o rio...

É flutuante a minha caminhada,
No olhar magoado do meu brio
Desabrochei da vida magoada
Na rota do longe em desvario !

Assim vivo, lastimoso e mudo
Para lá das sombras já vi tudo...
Pinho triste a soluçar os ramos !

O rosto no orvalho é uma saudade
O hoje no amanha é uma verdade,
Da hipotecada vida que sonhamos !

Germany 03-02-11


2- A MORTE DAS SOMBRAS
Odir, de passagem
 
Eu temo a noite, tal como o fustigo
do vento frio no portal do porto.
Tento passá-la em paz, mas não consigo.
Em suas sombras sinto que estou morto!
 
Nela não vem ninguém falar comigo.
A solitude aumenta o desconforto.
Noite indormida, a me impingir castigo,
da minha alma provocando o aborto!
 
A conversar comigo escuto o nada
e o nada em nada serve de conforto,
calando a noite por demais calada.
 
A luz da vela faz-me um vulto torto
tentando o teto. Temo a madrugada!
Em suas sombras sinto que estou morto...
 
JPessoa, 03.02.2011
oklima



3- Sombras das Recordações
Maria Thereza Neves

Lembranças guardadas, fios de olfato,
Cheios de aromas ainda no ar liberto .
Tão lânguidas mãos macias , singelas ,
Sem recatos, doces ousadias serenas .

Que meus olhos na retina guardam ,
 Estes sutis inebriantes momentos .
Os exatos traços que encantaram ,
Os anelos que fugiram, hoje desfeitos.

As sensações dos encantos mortos,
Os dias , os contatos ,a voz suave ,
Ais perdidos a passar distante da nave.

As rosas murchas ,emoções aos ventos ,
Afundando no melancólico peito ,onde
Soluçam nos altos céus, os lamentos.


4- SOMBRAS NA ALMA
Maria de Fatima Delfina de Moraes

Sombras na alma sofrida,
deixam impressões tatuadas
no intimo do meu ser
uma página marcada.

No peito, intensa ferida
onde a dor fez morada
vivo para esquecer
que a vida foi revirada.

Colhi minhas tempestades
em meio as desilusões
- alma cheia de mágoa.

Foram-se as vaidades...
No turbilhão de emoções,
tristes olhos rasos d`água.

RJ, Brasil - fev/2011


5- SOMBRA
by Penhah Castro

Passeando pela minha vida
deparei-me com um grande gigante
Fiquei encantada
sem saber como com ele falar
ou mesmo o que ele iria pensar...

O tempo foi passando
e, ele se agigantando
e, sempre me encantando...
Quando já bem grande
pensei, eu vou com ele falar,
mas quando eu me virava

Ele trocava sempre de lugar...
Pensei, eu preciso de uma maneira,
de brincar esta nova brincadeira...

Aí minha emoção percebeu
que este gigante era minha sombra
e, que este gigante ERA EU...
Foi então que me integrei
e, na minha auto estima apostei...


6- SOMBRAS DA NOITE
Anna Peralva

Alma mergulhada num só olhar!
Navegando em águas profundas,
tentando segredos do amor alcançar
e sangrando... A dor mais funda!

Coração é campo santo minado,
silêncio profano e infecundo
enlaçando meu corpo já cansado,
entregando-o à poeira do mundo!

Pêndulo do tempo é sonho perdido,
lembranças em sentenças soluçam
por momentos que foram vencidos
e novos sonhares não mais buscam...

Mistérios da vida sempre avançam
esgarçando sentimentos cerzidos.
Sombras da noite logo se adiantam
destrançando os laços puídos!


7- Sombra...Nada Mais...
(Dioni Fernandes Virtuoso)

As emoções pelo tempo aquietadas,
trancafiei nas gavetas do meu peito...
Mas a saudade de ti, exagerada,
faz-me revivê-las ao deitar-me em nosso leito...

Nas veias, o sangue borbulhante
vai aquecendo todo o meu ser...
Começo a viagem...Mas te sinto ausente,
já não fazes mais parte do meu viver...

Vejo apenas tua sombra projetada,
nos lençóis de cetim, onde fui muito amada,
palco de tanto amor e agora...Nada mais!

Volto à triste realidade,
regando a fronha com lágrimas de saudade
de quem se foi e não voltará...Jamais!

www.sergrasan.com/galeria/dionivirtuoso
Criciúma/SC/Brasil
05/02/2011



8- SOMBRAS DA SOLIDÃO
José Ernesto Ferraresso

Na penumbra desta vida,
A Terra é envolvida.
Uma sombra paira no ar,
Instante para se pensar.

Como ela é triste e tentadora,
Misteriosa e nos fascina.
Sensível envolvente esta sina,
Tenho receio porque é dominadora.

A ansiedade é em demasia ,
o temor nos absorve mais .
Processo que nos amedronta e se inicia.

Quando a deixamos dominar,
não conseguimos compreendê-la.
Porque esse fenômeno chega para nos exilar.
 
Serra Negra
05/02/11


9- SOMBRA
Tarcísio Ribeiro Costa

Como sombras tristes a me acompanharem
Estão momentos do meu passado de amores,
Sofro tanto, penso tanto, que seus olores
Estão, perenemente, meus dias perfumarem.

São inolvidáveis as minhas recordações,
Que me persuadem viver envolto em saudade,
Essa é a minha controvertida realidade,
Entre o meu acreditar e minhas frustrações.

Assim, vivo a alimentar minhas ilusões,
Dos sobejos das minhas contemplações
Ao tentar brotar na minh'alma confiança

E seguir, sem óbices pelo meu caminho,
Quem sabe, sem sombra e ter ainda o carinho
E o conforto supradivino d'esperança.


10- SOMBRA
Vanderli Granatto

A frieza do dia a dia invade a alma.
Toma aos poucos conta da vida
Sem incentivo, estou vencida.

O glamour da felicidade está desfeito.
O sorriso morreu, sem jeito.
A fantasia rasgou-se; dói o peito.

Apagada a chama da esperança,
O tempo escoa sombrio,
levando a euforia, para o mar bravio.

Implacável tempo, leva o alento.
Escancaro as janelas dos sonhos,
Mas distantes; fico só, sem carinhos.

Se torna negro o dia,
Nenhuma réstia de luz,
Sem brilho do entusiasmo que reluz.

Grande é o esforço,
Tento reconquistar a esperança.
Sem ela, não mais alço vôo.

O desanimo abate-me.
Nesse calvário deixo-me vencer.
Calo-me...

Me reestruturar?
Ensine-me...
Virei sombra em meu caminhar...

Vanderli
10/07/2008
Botucatu/SP/Brasil

      
11- Sombras
Rita Rocha

Sombras permeiam a minha vida,
E até fazem noturna vigília.
Andam sempre me espreitando
Pro meu coração ficar cismando.

Eu até faço grande esforço
pra ver se consigo me libertar,
Quando penso que estou livre...
Ai meu Deus!....
Elas estão a me assaltar.

E na madrugada fria,
Mal consigo adormecer.
Lá estão as sombras da vida
Pra minh'alma enlouquecer.

 
Rita Rocha
Santo Antônio de Pádua/ RJ /Brasil


12- SOMBRA
Fátima Abrantes
 
Nada tem significado,
tudo jaz petrificado,
a se aquietar...

Na sombra de meus sonhos
amarrei os meus enganos
e todos se foram...
Ledo engano...

Vinquei na terra a esperança
como uma criança
que alegria traz...
E na perfídia deste espanto
desatei meu pranto
pra não mais olhar...

Da saudade fiz meu rumo,
das trovas a andança,
sem questionar...
Na bagagem...um dia
Na voz...meu medo
No olhar...segredo...


13- TRIOLÉ DAS SOMBRAS

// Luzia M.Cardoso//

Assombrada no caminho
fui, à sombra, desde então.
Eu fiquei em desalinho,
assombrada no caminho,

dei a mão à solidão,
já seguindo a procissão.
Assombrada no caminho,
sou a sombra, desde então.

RJ, 06.02/2011


14 - SOMBRAS
Rose Mori

Sombras...

Em tudo, o que resta,
são apenas as sombras,
como poeira impregnada na alma.

Foram-se as ilusões, os objetivos,
as noites de sonhos
onde a lua era testemunha muda
de juras trocadas...

eternas?

Quimeras...
Enganos...

Olhos brilhantes,
bocas famintas,
corpos ardentes,
almas em regozijo,
felicidade suprema...
ledo engano...
promessas esquecidas...
desencanto...

Na solidão que impera,
apenas as sombras dos sentimentos
que o tempo não conseguiu reter...


SP, 06/02/2011


15- SOMBRAS
Ervin Figueiredo

Caminho pelo sol de minha vida,
Entre escarpas e pedregulhos,
Eu mesmo me curo cada ferida,
E na lembrança dou mergulhos...

Meu caminhar é tranqüilo, seguro,
E mais da metade eu passei...
Não temo a noite e nem o escuro
Tudo que se pode levar eu levei.

Mas, não consigo te encontrar,
Olho tudo ao redor sem achar,
Por mais procure o que almejo.

Ninguém caminha comigo agora,
Só sinto algo correndo por fora:
Sombras do meu passado eu vejo...

Ervin Figueiredo  06/ fev/ 2011 
 Americana/ SP


16- MINHAS SOMBRAS
Theca Angel

Perseguem-me sombras sorrateiras
Fantasmas que assustam, amedrontam
Frutos desta minha mente forasteira
Transparências que minha alma confinam.

Caladas elas seguem os meus passos
 Assaltam-me à noite, em sobressaltos
Mostram a angústia de meus vazios
Perdas que ficaram no passado

Quietas, insensíveis, invasoras...
Insinuam-se amigas, me sufocam
Fingindo sutentar-me, as opressoras.

Na luz tremulante em noite pálida
Sabem que os sentimentos agonizam
em vigilante desespero, na alma cálida!


Theca Angel
07/02/2011
Americana_SP_Brasil



17- EU SOMBRA.
Pinhal Dias - Portugal

Com a sombra conversei
na química dessa fórmula
no passo a passo eu versei
com reacção de matrícula

P'la sombra fui perseguido
indagando ser alguém
depois fiquei convencido
Eu sombra.e mais ninguém

Com madrugadas perdidas
Procurando a solução
Sombras foram convertidas
Com proveito de lição.


18- SOMBRAS
Clara da Costa

Nas sombras da noite,
cambaleio nos braços da saudade
que vem como um açoite
fazer companhia prá minha insanidade.

Dobro as esquinas dessa saudade
que faz minh'alma sofrer,
despedaçando com a verdade
que meus olhos tentam esconder.

Sinto tua presença no silêncio das sombras escuras,
que passeiam sorrateiras,
refletindo desejos e vontades sussurradas.

Ouço o som de uma canção,
que me traz com a brisa, o aroma do teu corpo
que faz companhia para minha solidão.

Praia de Pipa/RN
07.02.11


19-Crepúsculo mudo
Bene

Onde dormem as sombras
Perfumes silvestres afloram-se
Seguindo as ondas das sedosas brisas
Pássaros calam-se
Já se começa apagar as cores

Já o negro espelha o silencio

Acendem-se os passageiros da noite
É o final do crepúsculo na montanha
Neste berço dormem as sombras

E escondem-se as pedras presas a terra

Magra serra, Medo assombra.
Sobra fantasmas enfeitando arvores
Zombando com os olhos nos espaços

Feitiços feitos de luz de lua

Abraçam estreitos caminhos
Procurando uma nova saída
Só se sabe que algo vai acontecer
Nos arredores da noite.

Procura-se uma luz
Seja de vela, lamparina ou lampião...
Qualquer uma que se tenha à mão
To com medo dessas alturas.


20- SOMBRA SOU...
(À minha esposa, in memoriam)
Humberto Rodrigues Neto

Mera sombra ora sou do que fui antes
nos meus constantes risos de euforia,
quando inda ouvia as notas fascinantes
dos farfalhantes guizos da alegria!

Meus tempos d'ouro são saudade agora
que não vai embora e fica aqui comigo
como um castigo que me desarvora
e no qual chora a dor que ao peito abrigo!

Ontem sorrindo... hoje a curtir a dor,
só vejo horror por onde a vista pousa...
Só a fria lousa me restou do amor
daquela flor que foi a minha esposa!



21-Do outro lado das Sombras...
Nídia Vargas Potsch

Há velhas penumbras pelas trilhas gastas
trevas esparças que levam à escuridão.
O que haverá do outro lado das sombras
Que não seja a amarga e triste solidão?

Este simulacro de mistérios nos anima
desvendar novos caminhos, trilhas novas,
e preencher as lacunas da pantomima
trocar a discórdia por contraprovas...

Atravessando os umbrais do medo,
é possível sim, enxergar mais cedo
uma brilhante luz ao final do túnel...


@Mensageir@
Rio. 08/02/2011


22- MINHA SOMBRA AMIGA
Ary Franco

Caminhando na escura solidão,
Acendo a vela da esperança
Para achar minha antiga paixão.
Mas perdido fico nesta andança.

Sigo em frente de qualquer maneira.
Tenho apenas uma fiel companheira.
É minha própria sombra constante,
Incentivando-me que siga adiante.

Eis que numa lufada inusitada
A vela já bruxuleante se apaga.
A sombra morre! Paro a caminhada...
Termino a busca pela minha amada!

Procuro então, voltar para a claridade
Tentando poder novamente enxergar.
Em lá chegando, satisfação invulgar:
Volta-me a sombra, minha única deidade.

Ary Franco


23 - SOMBRAS DAS LEMBRANÇAS...
(Iraque De Melo)

Oito andares, arquitetura vertical,
a queda livre que oblitera um começo de existência.
Na alma, o inferno cinza-prata,
mescla que faz da vida
isso que se vê por aí...
 
Ao longe, os acordes de uma canção.
Junto a mim, uma lágrima provocada
pelo inesperado,
dado que a vida é essa avalanche
de sonhos que já não são
de alegrias, levadas pelo incessante
movimento do calendário...
 
Na garganta o espaço é inadequado
para conter a maquiada gargalhada
e a autêntica dor que o tempo vai trazendo,
asfixiada no silêncio da madrugada...
A cachoeira parida pela tragédia,
os ponteiros do relógio esticam
a angústia que procura uma saída...
 
No peito a certeza do absurdo
da caminhada conduzindo ao nada,
nos olhos a umidade que machuca como punhal,
no rosto a cor do sofrimento,
na boca a vontade de gritar:
- Onde está a estrela que parou de brilhar?
 
IRAQUE
Curitiba/PR/Brasil
09/02/2011


24- SOMBRAS
J.R.Cônsoli

Sombras ofuscam
a luminosidade dos dias,
feitos noites pela tua
ausência.

Céu sem lua
e sem estrelas.
Madrugadas frias,
que se orvalham em desejos
pelo amanhecer.

A boca paupérrima
de beijos, aos poucos,
se adocica.

Um grito ecoa,
transpõe limites,
a luz se faz
e amanhece flores.


25- SOMBRA
Mifori

Onde quer que a gente vá
conversando ou calado,
a sombra..., sempre está
a nos acompanhar.

Ora passa a frente,
ora fica ao lado,
ora está rente.

Dependendo do que está
a nos iluminar
e do ângulo que se é focado,
a sombra... Pequena ou grande,
translúcida ou pastosa,
de forma geométrica ou sinuosa,
jamais será colorida,
nem mostrará a nossa ferida.

A sombra nos acompanha
desde o nascimento e pela vida afora.
Ela não se acanha...
E nos segue até depois da morte!

(SJC/SP – Brasil 09/02/11)


26- Sombras
Maria Olga de Oliveira Lima

Alma em mágoa,
Assim carrego os dias.
Noites – tempestades!
Manhãs geladas, frias...

Lágrimas, constantes águas!
Recordações - tristezas de alegrias.
Coração... solidão, saudade!
Mora também a nostalgia!

No livro da minha história
Trago os versos na memória
Matando a alma a cada tarde.

O relógio registra as horas.
Fim de noite: sombras, folhas mortas!
Lembranças... amores... Felicidade!!...


27- SOMBRA
Mara poeta


Não mais me amedronta
Visto que é etéreo
A sombra e seu mistério
Tenho medo do fraco
Silencioso qual fantasma
Nos calcanhares do forte
Desdenha sua sorte.


Ao sabor das ondas do mar
Não sente, não vê...
A vida em branco passar.
No balanço final, fracasso total
Indigno de agradecer
Nada construiu sozinho
Sem a sombra em seu caminho.

Marinez Stringheta/Mara poeta
Botucatu/SP – 10/02/2011



28-SOMBRAS
Rute Seubert

Sombras em mim silenciam
Se é dia , há silêncio.
Se é noite, o silêncio se faz absoluto.
Sombras que atingem as fibras do meu ser,
reduzindo-as a fragmentos.
Que poderiam ser levadas pelos ventos.
Mas como fantasmas me seguem
Será que, são bem aventurados os que sentem ?
Óh sombra, tua força é mágica,
mas pareces uma fada a me dominar...
O espírito
e o coração.


Rute Seubert
Itajaí SC


29- O TRINCO
Glória Marreiros

Puxava sem parar aquele trinco
que a porta dos meus pais tinha na frente,
zangava a minha mãe frequentemente,
mas tinha poucos anos, talvez cinco...


Aquela brincadeira deixou vinco
que o tempo não desfez e, certamente,
ao lembrá-la renasce uma semente
nas memórias que guardo com afinco.


E a porta de castanho, bem polida,
hoje madeira seca, enegrecida
por tempos que se fecham na distância.


O trinco desgastado está comigo,
nas horas da saudade é um abrigo
que abre a porta de anil da minha infância.


Glória Marreiros
Portimão, 9 de Fevereiro de 2011



30- A MINHA SOMBRA
Mary Jenny
 
Nascemos juntas no mesmo dia
No rugir das madrugadas invernais
brinquemos juntas, na orla dos caminhos
nas estradas pobres, como desertos infindos...

Crescemos juntas na vida par a par
no calor de cada dia, na dimensão das horas.
Choremos juntas, e juntas aprendemos
a ser leais...a escrever poesia, e a pensar
que somos poetas...
 
Vivemos na plena juventude dos sonhos
caminhamos ainda juntas passo a passo
e no despertar dos anos sempre unidas
moldemos louros dias no mesmo caminhar...
foste tu a minha sombra a cada hora
a mais fiel companheira dos meus dias.

Germany



 

LIVROVISITAS
BRILHANTE