DONAIRE
©Ferdinando
 
Silêncio de luz erguendo-se das trevas
nascida das espumas do Mar errante...
as Deusas soberbas foram tuas servas
atrás do horizonte, em oblíquo distante.
 
Fizeram-te amor, ficado em cada peito
como o olhar em gesto pedindo vidas.
Volitam lendas, nascidas no teu leito
no pôr do Sol, em auroras repetidas!
 
Teu semblante, no anelo azul do infinito
ameno gesto, que chama como um grito
em sorrir de sonho, que desenha amor!...
 
A vida se tornará cinza, em frio jazigo
o ventre infindo das areias ficará contigo,
eternizando-te amanhecer de uma flor!
 
Germany 28-06-08
 
Seara de Cultura