ESTA SAUDADE...
Ferdinando©
 
Olhei-te terna, de amores vestida
Nos braços alongados do distante,
Chegavas como Deusa emudecida
Quando o luar te vestia fascinante.
 
A ilusão te tornava apetecida,
O desejo se fazia mais constante,
Depois dessa noite desmedida...
Seguiste a rua que te fez errante.
 
A brisa traz o hálito do teu rosto,
Que sejas a concórdia do sol posto
Que sempre vai e vem em liberdade.
 
És o sonho no seio azul do tempo...
Levaste o sorriso, ficou o lamento
Em linguagem fria de saudade.
 
Germany 17-12-09