FRAUDE
© Ferdinando

A meus olhos, tudo se agita emudecido.
Antro mágico que gira incompreendido
em despido sol amarelecido, e lastimoso
como a barreira densa da apatia perversa.

A massa humana atropela-se no embrolho da
bodega imunda, com capanga de iludente paraíso!
Gritos sem glória como a mudez feita de pedra
em mentira sem aura de um porvir existente.

Fraude em ditos, sopros como a aurora triste
que apagam ilusórias luzes, emudecidas de sol
que há milénios de anos, são a linguagem e
o alvo deste palco pintado de incompreensão.

Olho a pobreza de cada alma, a quem a vida
sem pudor arremessa ao monturo pútrido,
num futuro evasivo sem luar de esperanças...

O amor sem sopro de fidelidade, caminha
numa antologia de ilusões tresloucadas...
a fopa da fogueira ilusória se esvairá no nada
em haste despida da verdade...

Germany 06-09-07