HOMEM ?
©Ferdinando
 
Porque te ilustras em desmedida ambição!
Rios de sangue, regando em rubro o poente.
Semeias guerras, primitivo fulcro de ilusão...
infatigável tempo... em vaidade persistente!
 
Porque te legou esta vida a façanha de ser só
como dono da justiça, em dimensão Universal.
Rochedos de horas, magoando sem ter dó....
manhãs escravas de gemidos, frotas do irreal.
 
Porque não enches de luz quem ama a vida?
Ofertas-lhe o futuro em paisagem ressequida...
emudecendo-lhe os lábios para dizer amor !
 
Assim tudo começa, e tudo acaba emudecido
seara de cardos, torna o tempo sucumbido...
ascende em cada peito: - fogueira sem calor!
 
Germany 01-06-08