IMPIEDADE
© Ferdinando

Às horas das trindades...ouvia contentes rir,
as alegres moças em coro, vindas da romaria!
Eram sonhos... juventude como jardim a florir,
meiguice como sol, que ilumina em cada dia.

Viviam indiferentes ao desenhar do seu porvir,
às recônditas intempéries, que a vida lhe traria:
- como quem pretende enfeitar os dias a sorrir -
magnética visão, que evapora mundos de magia!...

Estes seres, eram primavera a despontar ridente,
beldades que florescem numa sombra inclemente...
árido painel, medos calados!... Sonho roubado.

Janelas da escuridão, ditam hoje seu cenário triste,
naufragando na desonesta sociedade, que persiste...
furtando-lhe os sonhos, findos na casa do pecado!!

Germany 12-02-08