INDAGADOR
© Ferdinando

Sou puro indagador na distância das eras.
Sou olhar que espreita cansado no distante!
Perscrutador da linguagem ilusório da vida,
onde a languidez do dia, morre mais cedo...

O silêncio que vagueia as horas exaustivas...
um mar a ampliar seu universo em vozes
beijando a rocha triste, em gestos convertidos
como infinda avidez, de amores queimantes!...
Horas que ditam, as promessas do amanhã!!

Crente de amores, que afloram a ambição...
venéreo, cantar ditado em poetar tunante!...
idealizo cada dia mais, o mundo no distante...
estarei sempre no dobrar da esquina da vida,
onde horas gastam, fases que criam saudades: -
- paixões infindas, ficadas no canto das marés!...

Germany 23-02-08