MODU

      MÁGOA   
©Ferdinando
 
Horas cinzentas que devoram os meus dias
feitos saudade em andorinha de esperança.
Oceanos chorando nas marés vazias,
noites de amor deixadas como herança!
 
Choro o teu beijo que grita permanente
num silêncio rude em crepúsculo amor
despido no tempo, que queima lentamente
grito encarcerado, onde morre cada flor.
 
Em cada noite o teu distante está mais frio
e o meu sorrir é como túmulo sombrio...
pura ansiedade, cansada na incerteza.
 
Teu nome me enfeitava o espaço da razão
sobre o meu peito te afagava em paixão,
onde vestiamos teus versos de beleza.
 
Germany 03-08-08

 

 

rosadourada