MASSA HUMANA
Ferdinando©

Quem disse que o homem foi futuro
Das manhãs que nascem nas estrelas?...
Esperou-se que ele fosse um rio puro,
E não um trapo desonesto nas vielas.

Se cava no distante o pranto rouco,
Onde tremula a crença da verdade...
Ensopando a terra mais um pouco,
Em sangue, de orgulho ou maldade.

A vaidade nuclear se foi moldando
E o corpo já cansado caminhando,
Para a hora da concórdia anunciada...

Carne com carne, e ossos com ossos
Choram os olhos, gritam os remorsos
Na cinza que foi tudo, e não é nada!

Germany 29-08-10

BRILHANTE4