METAMORFOSE
Ferdinando©
 
As árvores se despem tristes
e a s raízes cavam mais fundo.
No figurino do medo e da distância,
mora a voz muda da nossa razão,
onde o território da alma se defende.
 
As aves planam um olhar ausente
sobre as pedras cansadas da idade,
caladas sobre o vermelho dos montes.
As rosas tristes já não se namoram,
nem se abraçam aos poemas...
 
Cada palavra fomentada de razões
adormece no vago, cansada e triste
sobre a terra húmida do nosso choro,
sem sinal de andorinhas de esperança
que não trouxeram a primavera.
 
O fadiga percorre o convés do corpo....
voamos para o final, adornando medos
dentro da insana carruagem do tempo!
 
Germany 10-07-11