Ferdinando
divisaogrande

 

 MEU RETRATO
©Ferdinando

Quando te fito, a saudade se senta a meu lado
e olhamos juntos a sombra do meu Ser
amarelecido pelo tempo, e vencido pelos anos
cavando em mim as rugas que moldam este rosto
numa mágoa, que ficara num esboço evasivo
num clamar de voz enrouquecida pela tormenta
só me fala agora, outra linguagem retractada em ti...

Vejo-me pálido, como o papel que fora outrora
colorido, nos verdes anos tão distantes que recordo
ainda, na saudade da poeira dos tempos que a vida não
alcança nunca mais, na trajectória de discursos mudos...
como o florir primaveril, que só me visitou para seguir
em horizontes de ilusão, e em punho de raiva!

Sou a vida no nascer do outono na fantástica noite
que atraiçoa sem palavras este meu Ser na nudez
que me arremessou na selva de cimento oblíquo...
serpenteando a vida ilusória que atanazou meus dias!...
Sou este retrato em sombra do passado, num tempo
de cinza da fogueira que aqueceu este meu sonho.

Alemanha 07.12.06

 

RODA