NADA SE DIZ ... 
Ferdinando©
 
A manhã se despede do luar,
O sol olha a medo no distante
A cidade sem futuro a falar,
A mesma linguagem ignorante.
 
O nosso brado se perde pelo ar
Nas asas da mentira caminhante,
As janelas abertas par a par
  Fingem o sol que se faz errante.
 
Tudo fala o idioma da desgraça
E o gélido vento nos trespassa
Disfarçando sorriso de criança;
 
Demoremos, as apressadas horas
E o amanhã será sol de vitórias,
Nos desejados dias da bonança!
 
Germany 17-05-10