NOVA VIDA
©Ferdinando

Habito na continuidade deste espaço
abandonado, onde só o amor reside em nós.
Sonhos por mim sonhados, noites de vigília...
navego sobre o farol do teu olhar luminoso,
tudo reflecte e frutifica desejos de futuro!

Confesso que te vejo cada vez em meu redor
às portas dos meus sentidos, que podes ouvir
onde se rasgam murmúrios que deves saber!...
Vê os sulcos das minhas mãos que te buscam,
cavando no destino essa volúpia que me vence.

Quero que a vida ganhe a frescura de liberdade,
que as paredes ganhem luz como as manhãs,
sem o arrepiar do olhar do nada, fechado em
confissão de cumplicidade, em forma acusadora...

E neste intermédio lugar por onde se entra e sai
fechado em segredos de alicerces salutares,
acho o refúgio do meu amor, a porta sem
travessos, neste meu olhar que será futuro,
orvalhado no regaço terno do teu aconchego...

Germany 28-11-06