O MUNDO DO FUTURO 
Ferdinando©
 
Eu vejo na linguagem do futuro
O homem brincando pelo espaço
Ergue-se pela noite feita de aço
E esconde o luar atrás do muro.
 
Choros nascem da austera mágoa
Que se arrasta triste num suspiro.
No entardecer do luto, eu respiro,
A idade com  olhos feitos de água
 
A juventude não trajou futuro
Nem o trigo chegou a ser maduro
Queimado pela retina da idade.
 
Há gemidos nas ruas a meu lado,
Como punho de raiva incendiado
Aniquilando o brado da verdade.
 
Germany 09-04-12