O QUE FICOU...
© Ferdinando

Fui aquele sonho feito em jeito alento
a brandura entre os montes e o prado,
hoje é saudade chorando como o vento...
mantém esse fremindo sonho desvelado.

Acariciei teus cabelos, em gesto docemente
num passado, que embala ainda magoado
no ígneo queixume que chora meigamente
nos braços da vida, na ladeira do passado!

O teu olhar me fita no etéreo da esperança
como a ternura que deixas-te como herança
na minha lembrança desenhada em universo.

Em cada pedra puída da calçada nua
segues ainda serena no caminhar da lua
para me beijares na carícia de um verso!...

Germany 17.01.08