OLHANDO A VIDA
© Ferdinando

Que pretende a nossa força desmedida
nos dias em que a vida em nada nos entende?
Que pretende nosso querer com a verdade
escondida num mentir de bocas frias,
em promessas escritas pelas ruas?
 
Que deseja o nosso bradar mais forte
no vazio das desmaiadas e cansadas forças,
onde as estrelas choram e a brisa geme
 quando a noite volta mais escura ainda,
aos olhos tristes e cansados de palavras?
 
Que pretendem os dias em ânsia primitiva
onde a solidão é feita de agonizar sinistro,
onde o deambular dos seres já sem norte
gritam com urgência, outros destinos
sem o flagelo ditado como sentença.
 
Germany 01.12.06

 

VOAR