PORQUÊ...
Ferdinando©
 
Se existe amor, porque chora a vida?...
Em lábios que se abrem para sorrir
Numa crença somente prometida,
Como o Sol que nasce sem porvir.
 
Na sombra vivo lendas de incerteza
No longe mais salgado do infinito,
Teus olhos que vomitam só tristeza...
São vertigens doidas de um mito.
 
O nevoeiro indeciso e tristonho
 Na tarde que morre sobre a pedra.
A avançada idade do meu sonho,
Desfalece em tudo que não medra!
 
O meu olhar de crença arrefecido
Como o frio idioma dos segredos
Punho que a raiva faz escondido,
Na poeira fria dos meus medos...
 
Germany 20-09-09
 
SEARA DE CULTURA