RECORDANDO NOSSO PASSADO
Joaquim Marques
 
Estou certo, amor, que não esqueceste,
os ditosos anos do nosso passado...
Quando, calcorreávamos os dois, de braço dado,
o caminho que nos levava à escola.
Levávamos às costas uma sacola, de serapilheira,
 cheia de inocência e de esperança...
Cabelos ao vento, alegres, contentes,
vezes com calor, vezes com frio, a bater os dentes.
 
Estou certo, que não esqueceste os anos
da nossa adolescência, quando acordou em nós
a apetência... De esquecermos a inocência
que até então, tinha sido nossa vivência.
Tens que recordar esse tempo, em que nossos olhares
se começaram a cruzar de uma maneira diferente...
Levando-nos a viver uma paixão ardente... Que findou,
depois de fazer desaparecer o viço, de uma bela flor!...
 
Hoje, apenas resta, na relva que foi nosso chão...
Pétalas caídas, dessa flor que emurcheceu!
Eu não esqueci! E creio que tu não esqueceste
esse dia, em que nós dois, quisemos viver
nossa paixão... Entre enlaços... Momentos de prazer!...
Mas, recordo com saudade o que foi a nossa
infância, a nossa adolescência e, estou certo...
Que tu, nunca esqueceste o que foi nosso passado!...
 
Porto /Portugal

rosadourada