REFLEXÃO
®Ferdinando

Fechada imensidade na selva da minha aversão,
onde horas fantasmas vagueiam sobre o nada.
Ventos que se irmanam, em horas de ilusão...
brisa de marés ,espessas na distância ansiada!

No caminhar onde vagueia o soletrar da vida
em dilúvios dilatados, em sopros de vertigem...
túmulo dos tempos findos, em laje escondida,
como hálito das eras, na arena da sua origem!...

Sou a longitude do sol... olhar triste de pedra...
tacteio na sombra onde a verdade nunca medra
meus sonhos sem crença, em tempo sem idade.

Meu fadário negro... no tempo feito madrugadas
quando as estrelas ficam chorando magoadas....
até que o amanhecer, traga a luz da liberdade!

 
Germany 11-03-08