RUAS ESCURAS
©Ferdinando

Percorri um dia a rua mais sombria
onde o gemido feria cada esperança
e o griséu tempo em fuga se escondia
vacilando no passado sem lembrança!...

Ho! Como gemia cada voz cansada
memórias caminhadas como o tempo...
sentença gélida, na hora magoada
gerando em mim a força do alento!

A verdade me falava em ríspida ilusão
filha do negrume que respira solidão...
como frios lábios, no ilusório beijo!.

Loucura despida, no leito do pecado,
no olhar terno, em corpo incendiado!...
Mitos que acendem, noites de desejo.

Germany 31-08-08