SOMOS OS OUTROS
©Ferdinando
 
Somos os outros que ditavam novos mundos
na continuação da vida frágil, como a dúvida.
O homem sonhava o amanhã virgem do vento
sem cortinas de medo no coração das horas.
 
O passado sonhou paisagens no território da alma
sem o peso da mentira, no seio das ruas desertas.
O vento silavando no silêncio das montanhas, onde
habita a esperança, que oscila no pálido horizonte!
 
A morte vagueia como sempre roubando os sonhos
queimando o tempo no homem, que grita mais além.
A vida menstruou-se de sangue na terra poluída
cinza de séculos, lançada aos olhos da humanidade.
 
Outras gerações prometeram paisagens semeadas
a toda a largura dos nossos olhos, na rota do sol.
Fendadas paredes, desenhando o nosso futuro
que marmoriza, os olhos tristes das crianças!
 
Sómente a esperança acende a luz do porvir!!
 
Germany 08-10-08