TERNOOLHAR

TERNO OLHAR
Ferdinando

No mendigar da ternura do teu meigo olhar
numa esculpida paixão em sonho acordado
emudecida amargura, no tempo a caminhar
como quem desenha um brilho já apagado.

Habita ainda em ti a suavidade da esperança...
olhar que desenha um território do passado
esperando em mar revolto, a hora da bonança
folheadas memórias em mundo inacabado!...

...No trinado das aves memorar-me só pra ti
doar-te o alvo estimulo dos dias que vivi
no silencio das pétalas, do amor mais puro!

Quero fazer-te minha Deusa, e minha inspiração
na mentira fértil, que ergue a muralha da ilusão
em farsas que desaguam nas trevas do monturo!..

Germany 20-11-07

 

RODA