TU
Ferdinando©
 
Porque enches a vida de queixume
Ao olhar o nosso espanto dilatado,
Rubro desejo nascido do perfume
Que fomenta cada sonho desejado...
 
Incendeias promessas em cardume
Na fortuna do teu corpo imaginado,
Nas estradas do amor e do ciúme
Sobrevoa o teu olhar incendiado...
 
Nas horas nascidas, no cerrar do dia
Pintas o poente, dourado de magia,
Vives no etéreo como filha do luar.
 
Teu olhar é a fronteira que se abriu,
Como ternura de criança que sorriu
E pro idílio dos ventos foi morar!
 
Germany 24-10-09