VIDAMOLDURA

VIDA VACILANTE
Ferdinando©

És sequência vagante em cada Ser,
Atas os dias que despontam no além
Ventos chegam da terra de ninguém
Onde o sol se esconde sem nascer...

Trazes as horas as cerradas no viver
Gélidas como a bruma da mentira,
E o nevoeiro lúgubre mais respira
No vago onde o sonho vai morrer....

Corpos gemendo sem calor de um lar
Aquecem os sonhos na manta do luar
E chora a fonte, na rocha que cantou!...

O teu olhar inconstante e sem futuro
Arremessa a esperança no monturo,
Que a tua humanidade hipotecou!.

Germany 09.09.14
 

RODA