2 Poemas

A certeza

Para trás na distância e no espaço             Fica o tempo que eu fôra, diluído,               O sonho já desfeito no cansaço                   Do meu olhar de lume arrefecido 

E por que eu sou o mar feito em sargaço      Nas ondas controversas do sentido            De que me vale viver em cada passo           O gozo ocidental de ter nascido

De sonhos encho histórias recalcadas           E as noites que já foram madrugadas          São ilusões duma cidade incerta           

Minha agonia lenta, sem suporte...               A vida é uma passagem para a morte         Donde somente a alma se liberta!

 

A noite e o futuro

A escuridão cresce                           A luz diurna se esvai lentamente num espaço de granito.        

Por detráz de desaluminado caminho As crianças correm com mêdo          Na sua pureza ingénua sem limites    Para casa, fria e escura                   Com alcatifa de terra.

O pecado gera em cada esquina      Numa suavidade marmórea de rostos Na ânsia primitiva do prazer             No furor démico sensual.

O frémito embrolho tedioso             Construirá um futuro sem nexo        E o etéreo se tornará cinzento...

Ferdi